Quaresma: 5 dicas para viver bem este tempo!

A quaresma é o tempo de preparação para a celebração do centro da nossa fé – a Páscoa do Senhor – isso mesmo! Somos cristãos em plenitude por causa da paixão, morte e ressurreição de Jesus, por isso precisamos nos preparar à altura deste mistério.

Logo, preparamos este post para recordar a importância deste tempo e oferecer um caminho através de 5 dicas a fim de vivê-lo bem. Confira!

Por que “Quaresma”?

A palavra quaresma faz referência ao número quarenta, que tem um valor muito importante na Bíblia, como nos explica o Arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani Tempesta

“Os quarenta dias do Dilúvio (Gn 7,4), os quarenta dias de Moisés no Monte Sinai, os quarenta anos de Israel no deserto (Ex 16,35; Nm 14,33; Dt 29,5); os quarenta anos do reinado de Davi (2Sm 5,4), os quarenta dias do caminho de Elias (1Rs 19,8) e, sobretudo, os quarenta dias de Jesus no deserto (Mt 4,3; Mc 1,13; Lc 4,2), preparando sua vida pública, mas também o tempo de Jesus entre Ressurreição e Ascensão (At 1,3).”

Mas o tempo quaresmal, como é hoje, começou no século IV em vista da preparação dos cristãos para receber o batismo. Eles realizavam penitência, confessavam os pecados, ouviam a Palavra de Deus e os ensinamentos dos apóstolos antes da Páscoa do Senhor. 

E a quaresma é exatamente este caminho que nos prepara para a ressurreição de Cristo. Portanto, a disposição do coração é fundamental. Não se pode viver um momento tão forte apenas em uma oração ou celebração, mas aos poucos. Veja como: 

#1 Observe a liturgia da quaresma

Como dissemos, a quaresma começa na quarta-feira de cinzas e termina na quinta-feira santa. As cinzas nos mostram o quanto somos frágeis, mas também que nossa fragilidade é acolhida por Deus, e a Igreja nos ajuda a compreender a espiritualidade quaresmal.

E através da liturgia entendemos como preparar devidamente. A decisão é nossa de acompanhar a proposta desse tempo, mas a cartilha está pronta! E a liturgia é como um livro que nos ensina a acolher, através dos sinais, o que é invisível aos olhos. 

Por exemplo, a missa de cinzas traz toda a proposta para os quarenta dias. Participar dela é o primeiro passo. Na Palavra de Deus está toda explicação sobre o que fazer, o padre complementa com a homilia e o Espírito Santo nos abençoa para a prática semanal.

#2 Participe das práticas espirituais próprias do tempo

Há várias práticas espirituais que marcam o tempo da quaresma, entre elas destacamos a via-sacra, o jejum e a esmola. A via-sacra nos propõe a reflexão sobre o caminho que Cristo fez até a crucificação; é uma prática piedosa que fortalece nosso amor a Deus.

O jejum é fazer apenas uma refeição durante o dia. Diferente da abstinência, que é não comer carne. A Igreja nos pede jejum e abstinência na quarta-feira de cinzas e na sexta-feira da paixão, mas essas práticas podem se estender a outros dias durante a quaresma e ao longo do ano, quando não houver solenidade às sextas-feiras. 

Por fim, a esmola! É impossível viver o evangelho sem a presença do outro e principalmente dos mais necessitados. A quaresma, então, nos acorda para a caridade, para a partilha material como uma prática fraterna, ou seja, por amor ao outro e a Deus.

#3 Ouça o que diz a Igreja

Todos os anos a Igreja do Brasil nos apresenta a Campanha da Fraternidade durante a quaresma. Este ano o tema é Fraternidade e Fome. É importante ouvir o que os bispos dizem sobre as necessidades do povo de Deus em sociedade e como podemos ajudar.

Mas essa voz também vem através das pessoas que rezam conosco; dos movimentos que participamos; do diretor espiritual. Ou seja, não estamos sozinhos nesta caminhada; há pessoas que são instrumentos de Deus em nossa vida, vamos ouvi-las.

#4 Aproxime-se do sacramento da confissão

Todo sacramento é um sinal visível da presença de Deus, e o sacramento da confissão nos reconcilia conosco, com Deus, com a Igreja e com os irmãos. Ou seja, nos devolve a comunhão, nos coloca em estado de graça, por isso é tão importante na vida cristã.

A Igreja pede a confissão e a comunhão pelo menos para a Páscoa do Senhor. Convém lembrarmos que isto é o mínimo que se pede! Mas quem ama não dá o mínimo, mas o máximo. Logo, a confissão é a renovação do nosso amor a Deus. Prepare-se para isso!

#5 Decisão por Cristo

“Senhor, como queres que preparemos a Páscoa?” (Cf. Mt 26, 17).

Essas foram as palavras dos apóstolos às vésperas da paixão do Senhor. E agora estamos prestes a começar o caminho que culminará na maior alegria dos cristãos: Cristo Vivo para sempre.

De forma que todas as práticas anteriores têm como pano de fundo a nossa preparação pessoal, nossa volta para Deus, a conversão do coração. Tudo isso fortalece nossa existência enquanto caminhamos nesta terra rumo à pátria definitiva.

Então, é preciso se perguntar profundamente: “Senhor, como queres que eu me prepare para a Tua páscoa?” E a resposta é muito pessoal. Claro que entram as práticas próprias da quaresma, mas com que espírito você fará esse belo caminho? Encontre sua resposta.

Continue lendo sobre o tema: Quaresma e sínodo: qual a relação?

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
Email

Leia também:

Rezemos uns pelos outros

“A intercessão é uma oração de petição que nos conforma de perto com a oração de Jesus. É Ele o único intercessor junto do Pai em favor de todos os homens, em particular dos pecadores. Ele ‘pode salvar de maneira definitiva aqueles que, por seu intermédio, se aproximam de Deus, uma vez que está sempre vivo, para interceder por eles.” (Catecismo da Igreja Católica, 2634)

Leia mais »

Deixe um comentário

Comunidade Recado

© 2021 comunidade católica recado. feito por fluxo soluções digitais.

plugins premium WordPress