Nossa Senhora de Guadalupe: conheça essa devoção Mariana

Nossa Senhora de Guadalupe apareceu em 1531, em um lugarejo no México, ao índio Juan Diego. A sua proclamação ressoa até hoje no coração dos filhos da América Latina:

“Não estou eu aqui, a seu lado? Eu sou a sua Mãe dadivosa.”

Mas quem é essa “Mãe dadivosa”? Sabemos que é a Virgem Maria, que, por vontade Divina, foi escolhida como a Mãe de Jesus. Também é a mesma que aos pés da cruz tornou-se a Mãe da Igreja e dos filhos de Deus (cf.Jo.19).

Porém, esses filhos e filhas estão em todos os lugares, em várias culturas, com inúmeras particularidades e necessidades. Por isso, ela se revela para amá-los e conduzi-los a Deus. E assim aconteceu em Fátima – Portugal, em Lourdes na França e em Guadalupe! Confira! 

Nossa Senhora de Guadalupe aparece a “João Dieguito”!

Em um sábado do ano 1531, enquanto Juan ia do seu vilarejo até a capital do México para participar da santa missa, a Virgem de Guadalupe apareceu. Ela vestia roupas próprias da cultura local e o chamou com amor: “Joãozinho, João Dieguito”, “meu queridinho”.

Juan Diego era um índio asteca que se converteu ao cristianismo. Naquele época, reinava muita violência no México devido às invasões de colonizadores e a população indígena era quem mais sofria discriminações, mas Deus está sempre perto dos que sofrem.

E Nossa Senhora, com sua presença, confirmou o amor de Deus pelos nativos daquela terra e escolheu um homem simples, pobre e de fé para começar o que seria uma das maiores e mais belas histórias de suas aparições no mundo. 

Em sua aparição, Nossa Senhora de Guadalupe pediu que Juan fosse até o Bispo e suplicasse a construção do santuário naquele lugar. O índio fez como ela pediu, mas o Bispo disse que precisava de um sinal da Senhora, e a Virgem enviou-lhe no tempo certo.

Sinais de Nossa Senhora de Guadalupe

O bispo pediu um sinal, mas este só foi concedido na terceira aparição da Senhora de Guadalupe. Porém, no dia marcado,o tio do índio adoeceu e Juan não compareceu, no entanto, a Providência de Deus não deixa nada passar sem proveito para os seus.

Quando o índio foi em busca de um sacerdote para seu tio, a Senhora apareceu e disse: “Escute, meu filho, não há nada que temer, Não estou eu aqui, ao seu lado? Eu sou a sua Mãe dadivosa. Quanto à doença do seu tio, ela não é mortal! Ele já está curado”.

E ainda mais: “Filho querido, essas rosas são o sinal que você levará ao Bispo. Você é meu embaixador e merece a minha confiança. Quando chegar diante dele, desdobre a sua “tilma” (manto) e mostre-lhe o que carrega, porém, só em sua presença.”

Então, o índio colheu flores no alto da colina Tepeyac. Era inverno e não nasciam flores nessa época. Porém, o índio as encontrou, colocou em seu manto e, quando abriu diante do bispo, caíram as flores e apareceu a estampa da Senhora Nossa de Guadalupe no tecido.

A surpreendente imagem da Virgem Morena

A surpreendente imagem de Nossa Senhora de Guadalupe no manto do índio é um mistério que prova um milagre divino. Além disso, o tecido, feito de cacto, não duraria mais do que 20 anos e esse já existe há mais de quatro séculos e meio. 

A estampa já sofreu com o tempo, caiu ácido nítrico sobre ela, até a Igreja foi incendiada e ela permanece a mesma. Estudos científicos revelam que a pintura não foi feita por materiais existentes na natureza e nem fabricados pelo homem.

A imagem de Nossa Senhora de Guadalupe é cheia de sinais de salvação. Mas, de forma especial, o olhar dela traz uma grande revelação: os olhos mostram umas 13 pessoas; além do bispo e do índio, há crianças e famílias indígenas no momento da entrega do manto. 

E a Virgem, de pele escura, aparece com uma túnica rósea, circundada por raios de sol e, aos seus pés, um anjo segura uma meia-lua. Há detalhes que comprovam que aquela senhora que se apresentou a Juan Diego, como a Mãe de Deus, veio realmente do céu.

Patrona da América Latina

Desde a aparição de Nossa Senhora de Guadalupe, muitas pessoas alcançaram graças e milagres. Não demorou muito para que logo a sua fama se espalhasse e a imagem passasse a ser venerada por todo México. Com o tempo, as romarias e peregrinações só aumentavam aguardando a construção do santuário.

Em 1754, o Papa Bento XIV declarou: 

“Nela tudo é milagroso: uma Imagem que provém de flores colhidas num terreno totalmente estéril, no qual só podem crescer espinheiros… Uma Imagem estampada numa tela tão rala que através dela pode se enxergar o povo e a nave da Igreja… Deus não agiu assim com nenhuma outra nação”.

Assim, a Virgem foi coroada em 1875, pelo Papa Leão XIII. Em 1945, foi declarada padroeira da América Latina, pelo papa Pio XII, e o Papa João Paulo II, em 1979, quando visitou o Santuário da Senhora de Guadalupe, consagrou à Mãe Santíssima toda a América Latina.

Vamos venerar a Virgem de Guadalupe!

Todos os anos, milhões de peregrinos visitam o Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe, onde se conserva o manto de Juan Diego, proclamado santo, em 31 de julho de 2002, pelo Papa João Paulo II. 

Nossa Senhora de Guadalupe é a única que apareceu como mestiça, com o tom de pele semelhante ao das populações indígenas, por isso a chamam também de Virgem Morena.

Celebramos a festa litúrgica dessa amada padroeira dos povos da América Latina em 12 de dezembro.

As palavras dela para São Juan Diego são também para cada um de nós: “Não sabes que sou tua mãe?” Por isso, voltemos a ela nossa humilde oração:

“Mãe Maria, Senhora de Guadalupe, abençoai nosso continente e conduzi-nos sempre ao encontro de Jesus Cristo. Olhai as populações pobres da América latina e ajudai-as a manter a fé e a fidelidade ao evangelho. Amém.”

Conheça a história de outro titulo Mariano: Nossa Senhora das Graças a mestra do louvor

Facebook
Twitter
Telegram
WhatsApp
Email

Leia também:

Rezemos uns pelos outros

“A intercessão é uma oração de petição que nos conforma de perto com a oração de Jesus. É Ele o único intercessor junto do Pai em favor de todos os homens, em particular dos pecadores. Ele ‘pode salvar de maneira definitiva aqueles que, por seu intermédio, se aproximam de Deus, uma vez que está sempre vivo, para interceder por eles.” (Catecismo da Igreja Católica, 2634)

Leia mais »

Deixe um comentário

Comunidade Recado

© 2021 comunidade católica recado. feito por fluxo soluções digitais.

plugins premium WordPress