Notícias - Igreja

É ARTE?: Profanação da eucaristia da Espanha

É ARTE?: Profanação da eucaristia da Espanha

Como Comunidade que evangeliza através das artes e consola o Coração de Jesus, não poderíamos deixar de destacar esse caso terrível de deturpação e blasfêmia do fazer artistico. Não somente a Igreja e o povo de Deus se sentem ofendidos, mas a própria arte foi profanada. A eucaristia é o corpo REAL de Cristo. Um corpo HUMANO não pode fazer parte de um ato sem seu livre consentimento. A guardiã de Jesus Eucarístico é a Igreja e nunca permitiu e jamais permitirá um absurdo como esse. Em alguns sites é possível ver absurdos de "católicos" que defendem a ação do artista em nome de uma libertinagem e alegando que "devemos dar mais atenção às dores da mãe terra". Pessoas que se inspiram na Teologia da Libertação sentem-se livre para desprezar a eucaristia em nome da ecologia sob que bases? De São Francisco? Nunca esse santo teria demonstrado seu louvor pela natureza e o amor aos pobres sem a eucaristia e seus biografos dizem claramente. Uma de suas frase mais famosas:

 

“E quando o sacerdote o oferecer em sacrifício sobre o altar, e aonde quer que o leve, todo o povo dobre os joelhos e renda louvor, honra e glória ao Senhor Deus vivo e verdadeiro.”


Espanha: 242 Hóstias foram roubadas e expostas em ato profano

Abel Azcona diz que roubou as espécies eucarísticas de 242 missas, quando fingia ir para a comunhão, e as juntou para fazer uma “exposição artística” formando com as hóstias, as palavras “pedofilia” para serem expostas em um salão municipal da na Câmara Municipal de Pamplona (Bildu), na Espanha.

Abel Azcona que é ateu e homossexual diz que roubou as hóstias consagradas de 242 igrejas diferentes, fingindo que iria comungar. Esta "amostra de arte", como é considerada pela cidade de Pamplona e atualmente dirigida pela ETA Bildu, está sendo exposta em um salão público custeados pelos impostos de todos os contribuintes com o apoio da Secretaria de Cultura.
A Associação de Advogados Cristãos, a fim de impedir que isso acontecesse, abriu uma PETIÇÃO ONLINE com uma queixa contra o autor da profanação e solicitou medidas cautelares como a retirada da profanação baseado em uma ofensa contra os sentimentos religiosos consagrados nos artigos 524 e 525 do Código Penal, disse ainda que vai abrir um processo contra o autor destes atos profanos nesta segunda-feira (23), mas como a justiça é lenta, pede o apoio popular que já conseguiu mais de 50.000 assinaturas para que a exposição seja encerrada.

Artigo 524: No templo, lugar de culto ou cerimônias religiosas, atos de profanação que implementam sentimentos de ofensa religiosa legalmente protegidas serão punidos com pena de prisão de seis meses a um ano ou multa de 12 a 24 meses.

Artigo 525.1: em que incorrem na pena de uma multa de oito a doze meses, o que ofender os sentimentos dos membros de uma confissão religiosa, feita publicamente, oralmente, por escrito ou por qualquer tipo de documento, zombaria de seus dogmas, crenças, ritos e cerimônias, ou vejen, também publicamente, de professar ou prática.

O ato profano foi exposto em uma sala pública, que por ironia foi doada pela Igreja, de modo que o Departamento de Cultura também é responsável já que tal ato estava sendo exposto em seu departamento. Por este motivo, a petição pede também que o Conselho para a Cultura pare imediatamente com este ataque contra os sentimentos religiosos, do contrário será cúmplice neste crime que certamente tem apoio do prefeito de Pamplona, ​​Joseba Asirón.

O espaço usado foi doado ao governo municipal para a realização de atividades culturais sob a condição de que a natureza e origem do edifício, o que obviamente não foi cumprido, fosse respeitado. Agora, a prefeitura de Pamplona pode ser processada pelo descumprimento e apoio a um ataque desta magnitude aos católicos.

Para os católicos, a hóstia consagrada é o próprio Deus que se materializou em um pedaço de pão. Um católico não pode pensar que após a consagração é apenas pão.

O autor Abel Azcona, em sua página no facebook, ao comentar a obra, afirma que foi abusado sexualmente quando criança, e ainda inclui "Amém", que provocou a dor e a indignação de muitas pessoas ao formar a palavra "pedófilo" no chão com as hóstias consagradas.

Pior ainda é que esta exposição foi bem acolhida pela Câmara Municipal que permitiu ato tão desrespeitoso e insensível provocando assim dor entre as pessoas que professam a fé cristã e mesmo entre os não cristãos. Obviamente não se pode acolher esta exposição.

Independentemente de saber se algumas pessoas foram capazes de se sentir ofendidas em seus sentimentos religiosos (aparentemente, alguns "sentimentos" merecem mais respeito do que outros pelo Conselho), será que isso pode ser considerado arte? Ridículo!

Ameaças

Abel Azcona é um especialista em chamar a atenção com performances polêmicas. Há um tempo atrás, o mesmo autor, Abel Azcona, foi ameaçado anonimamente por telefone, e-mail e SMS por sua obra "Comer um Corão". Consistindo de uma arte de instalação, performance e vídeo onde o artista por quase seis horas comeu um Corão, livro sagrado do Islamismo, como uma crítica do fundamentalismo religioso.

Hóstias recuperadas

Segundo informações, confirmadas pelo pároco de San Lorenzo, Dom Santos Villanueva, as hóstias consagradas já estão em uma igreja de Pamplona, na Espanha. Alguns seminaristas enviados pelo bispo de Pamplona as recuperaram e as guardaram. Graças a Deus! Porém, embora as hóstias consagradas tenham sido recuperadas, as fotografias abusivas com o ataque sobre a Eucaristia continuam expostas e a previsão é que continue exposta durante o período do Natal até o dia 17 de janeiro de 2016. ASSINE A PETIÇÃO CONTRA A EXPOSIÇÃO.

As Hóstias Consagradas foram levadas para o Santuário Cristo Rei, em Pamplona. E agora as medidas legais contra o autor da profanação e a Câmara Municipal de Pamplona por ter apoiado a exposição, estão sendo providenciadas pela Arquidiocese de Pamplona.

Cuidado na Distribuição da Eucaristia

Casos lamentáveis como este levam os ministros que distribuem a Eucaristia a tomarem mais cuidado com a sua distribuição. Os fiéis devem receber a Eucaristia e comungar na frente do ministro que a entrega. Não é permitido aos fiéis a receberem e comungarem andando pelo corredor. Qualquer fiel que veja alguém que recebe a Eucaristia e não a comunga, mas a leva consigo nas mãos, pode solicitá-la de volta ou exigir que o mesmo a comungue. Sem violência, é claro.
 

Gentileza do site: http://www.icatolica.com/2015/11/espanha-242-hostias-foram-roubadas-e.html
 
 
Espanha: missas de reparação pela profanação da Eucaristia
 
Um ‘artista’ utilizou 240 hóstias consagradas para a sua ‘obra de arte’. O arcebispo de Pamplona disse: ‘Profanação gravíssima que ofende a fé, sentimentos e prejudica a liberdade religiosa’

O Arcebispo de Pamplona e bispo de Tudela, Francisco Perez, convocou para esta quarta-feira duas missas de reparação em resposta à exposição sacrílega “Desenterrados” do artista Abel Azcona, que utilizou mais de 240 hóstias consagradas para escrever a palavra “pederastia” em um projeto denominado “Amém”.
A manifestação que o autor define de ‘artística’ foi inaugurada na sexta-feira passada na Sala de Exposições da Praça Serapio Esparza da capital navarra, um local propriedade do arquidiocese que, no anos 90, foi cedido à cidade de Pamplona.

Em um comunicado, o Arcebispo metropolitano “informa e convoca todos à santa missa de reparação que será celebrada na quarta-feira, 25 de novembro, às 19hs, nas Catedrais de Pamplona e de Tudela”.

Além disso, a arquidiocese disse em sua nota que esta exposição “é uma grave profanação da Eucaristia, um fato que ofende profundamente a fé e os sentimentos Católicos e viola a liberdade religiosa".

Por esta razão, expressou "sua forte condenação destes acontecimentos dolorosos, que constituem um ataque contra a fé da comunidade católica, dos fieis desta arquidiocese e de todos os católicos”.

Também explicou que "um católico que cometesse um ato semelhante incorreria na excomunhão imediata reservada à Sé Apostólica, como indicado no Código de Direito Canônico", que afirma que "quem joga fora as espécies consagradas, ou as leva consigo ou conserva para um propósito sacrílego, incorre em excomunhão latae sentenciae, reservada à Sé Apostólica".

Finalmente, Mons. Francisco Pérez agradeceu a todos os fiéis diocesanos e de outros lugares pelas "suas manifestações perante o ato de profanação feito".

Como garantiu o próprio Abel Azcona, para realizar o projeto “amém” o artista teria participado de 242 celebrações eucarísticas em Pamplona e Madrí. Em todas elas, se aproximava para comungar e guardava o pão consagrado sem ser visto.

Em algumas fotografias, Azcona aparece escrevendo a palavra "pedofilia" com as hóstias consagradas no chão de uma galeria de arte, e com o seu corpo nú na composição, como parte da performance.


Gentileza: http://www.zenit.org/pt/articles/espanha-missas-de-reparacao-pela-profanacao-da-eucaristia