Notícias - Mundo

Cristão perdoam Estado Islâmico

Cristão perdoam Estado Islâmico

Através do Arcebispo de Erbil, D. Bashar Warda, a comunidade cristã que vive no campo de refugiados de Mar Elias, no Iraque, envia uma poderosa mensagem de Natal aos jihadistas do auto-proclamado “Estado Islâmico” que os perseguiram, ameaçaram e conduziram à situação em que se encontram: de mãos vazias, totalmente dependentes da caridade internacional.

Na referida mensagem, dirigida a “todos os povos e nações”, que sejam "livres ou em guerra, ricos ou pobres”, D. Bashar afirma acreditar que “o novo ano irá trazer a paz para a região”.

Dirigindo-se directamente aos jihadistas – responsáveis por mais de 1,5 milhões de deslocados internos no Iraque -, D. Warda oferece-lhes o perdão, o desejo de paz e o amor. “Àqueles que nos matam, violam e torturam - nós perdoamos-vos. Àqueles que querem a guerra - nós levamos a paz. Àqueles que nos odeiam - nós amamos-vos."

“O Natal – acrescenta o prelado – não significa apenas a troca de saudações” entre as pessoas, mas é também um tempo de “oração para que o homem” possa “estender a mão da paz e da reconciliação a todos” os outros.

Nesta mensagem, enviada directamente para a Fundação AIS – que apoia os refugiados neste campo de Mar Elias -, o Arcebispo de Erbil faz ainda um apelo: “basta de lutas, basta de guerras”. E acrescenta, traduzindo o sentimento de todos: “Estamos cansados de andar de um lado para o outro. Estamos cansados de não ter casa. Trabalhemos juntos para que todos os homens possam viver em paz nas suas casas.”

O Arcebispo de Erbil afirma ainda que a celebração do Natal, do nascimento de Jesus, é também a “celebração de um refugiado”.

"Hoje celebramos o nascimento de Jesus. Celebramos um refugiado, como nós. Celebramos uma família desalojada, como nós. Uma família forçada a dormir onde se guardam os animais. Uma família forçada, através da violência, a deixar a sua casa para viver numa terra estrangeira…" E conclui este raciocínio dizendo: “Estamos a viver hoje esta mesma história de Natal."

Dirigindo-se a todos os cristãos refugiados no campo de Mar Elias, D. Warda pediu-lhes para “ouvirem a voz de Deus” nos seus corações. “Ouçam. Não tenham medo. Deus é amor, Ele ouve carinhosamente os gemidos dos oprimidos, dos marginalizados e dos desalojados. Ele escolhe estar com eles onde quer que estejam… quem quer que sejam. Ele esteve na vossa pele e viveu as vossas aflições. Ele está convosco no vosso sofrimento e convida-nos a celebrar o Seu nascimento… e sonhar.”

O prelado continuou esta mensagem lançando um desafio: “vamos trabalhar juntos – a fim de que um dia já não sejamos desalojados. Jesus Cristo, um refugiado, é a vossa esperança. Ele é a minha esperança”.

Uma mensagem de vídeo estará disponível no Youtube a partir do dia 24 de Dezembro para ser partilhada nos media com o seguinte link:  https://youtu.be/GToGOoi3Pk

[Fundação AIS]

 

Fonte: http://www.zenit.org/pt/articles/cristaos-refugiados-perdoam-jihadistas-do-estado-islamico-pelo-mal-que-lhes-causaram