Ter sensibilidade é ruim para o artista?

Ter sensibilidade é ruim para o artista?

A palavra artista é diretamente proporcional à palavra sensibilidade, pois, é uma característica marcante do artista. Sensível não no sentido de “frescura”, mas no sentido de perceber os erros, os acertos; sensível na hora de arrumar uma nota que foi tocada errada, uma desafinação por parte dos cantores ou dos instrumentistas, em uma coreografia para perceber o que precisa ser mudado, na hora de arrumar uma arte plástica, de uma pintura de forma diferente, ou seja, em todas as artes. Essa sensibilidade não é usada somente na arte, mas na vida, no nosso interior e exterior.

Muitos pensam que a sensibilidade é algo ruim, pois você sente tudo com mais intensidade que todos e, muitas vezes, isso machuca intensamente. Dessa maneira, se sensibilidade é igual a artista, ser artista nos machuca intensamente, mas o que fazemos com esse machucado é o que nos levará. Se eu levar esses machucados para as mãos de Deus, Ele irá me curar, e se transformará em liberdade, mas se eu levar para o meu eu, me levará ao desespero, a não aceitação de mim mesmo, baixa estima e tantos outros males que hoje são comuns.

Artista, se aceite sensível pois, essa sensibilidade te levará à liberdade. Se a alma do artista não tiver liberdade, não conseguirá transbordar os dons e talentos concretamente.

Artista, leve sua sensibilidade e esta liberdade para Deus, que Ele cuidará da forma devida.

 

Por Taísa Salton, Membro da Comunidade Recado.

 

 

 

Você acha que está faltando mais formação para os artistas católicos? Então CLIQUE AQUI e temos uma solução para te apresentar.