Sua Arte é do tamanho da sua intimidade com Deus

Sua Arte é do tamanho da sua intimidade com Deus

"Eu quis uma vez implantar uma costela

no vento.

A costela não parava nem.

Hoje eu tasquei uma pedra no organismo 

do vento.

Depois me ensinaram que vento não tem

organismo.

Fiquei estudado." (Manoel de Barros)

 

 

A intimidade que o poeta Manoel de Barros tinha com a Natureza era impressionante. O poema "Vento" nos dá uma pequena mostra dessa relação de amizade. Seu Manoel soube como poucos aproveitar-se de um olhar voltado para as pequenas manifestações da Criação. Para tudo aquilo que passa despercebido pela maioria! Ora, se a Natureza é uma extensão da Beleza que vem do Criador, podemos então afirmar que o poeta era extremamente íntimo de Deus! E, como um reflexo natural desta intimidade, nasceu uma arte pura, simples, sem holofotes. Uma linguagem poética sem raça, sem faixa etária e sem classe social. Uma poesia que encanta a todos! Não é à toa que Manoel de Barros é o poeta brasileiro que mais vende livros.

 

Artista católico, sua arte é do tamanho da sua intimidade com Deus. Os frutos do seu trabalho como artista estão diretamente relacionados com a quantidade de vezes que você põe o joelho no chão. Com a quantidade de vezes que você participa da Celebração Eucarística. Com a quantidade de vezes que você se isola do mundo para fazer a sua oração pessoal. Sua produção está relacionada com cada conta do Terço. Não há como fazer arte dando as costas para a Beleza, que é o Cristo. Ele é a fonte! É de seus divinos pulmões que vem o vento, o ar que você precisa para criar. E sem este "ar", não existe a palavra "arte". Ah, e não precisa "tascar uma pedra no organismo do Vento". Ele não tem organismo! Fiquemos estudados!

 

"Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração" (Mateus 11, 29).

 

Por Alexandre Reis, Membro da Comunidade Recado.

 

 

 

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.