Sinais da terra ou sinais dos céus?

Sinais da terra ou sinais dos céus?

Não é incomum em nossas vidas nos deparamos em situações que fogem nossa compreensão e pedirmos a Deus sinais para nos guiar nessas situações. Alguém pode pedir sinais do céu com sinceridade, mas se utilizarmos disso para nos eximirmos das responsabilidades inerentes da ação humana à luz do Espirito Santo, essa ação é ilícita.

Antes de querer sinais dos céus, devemos querer sinais da terra. Somente aquele que está com o coração forte na fé pode ver os sinais mesmo que eles não nos pareçam sobrenaturais. Mesmo Jesus realizando sinais na terra de sua ação divina e redentora, muitos não acreditavam e o colocavam à prova. Os fariseus pediam sinais dos céus, como relatado no evangelho de Marcos. Em Nazaré, em sua terra natal, eles não o reconheceram como O messias. Jesus se nega a dar o que eles pedem. Porque tanta dureza de coração? Será que se nós se estivéssemos lá, também teríamos pedido um sinal dos céus?

 

“Se eu conseguir ao menos tocar no manto dele, ficarei curada”. Jesus voltou-se e, ao vê-la, disse: “Coragem, filha! A tua fé te salvou.” (Mt 9, 21-22).


Muitas vezes perdemos muito tempo olhando ao nosso redor buscando sinais encantadores e impressionantes. Se não tivermos cuidado podemos cair no perigoso e declinante modelo infantil de fé de condicionarmos a vontade de Deus a acontecimentos. Existem pequenos milagres acontecendo a todo tempo. Como a mulher do fluxo de sangue que só queria tocar o manto de Jesus e o milagre aconteceria. Imagine a conversão daqueles homens que carregavam aquelas talhas de água nas Bodas de Caná e testemunhas do milagre. Antes de verem água transformada em vinho, eles acreditaram, ou pelo menos, tiveram coragem de arriscar. Afinal, eles podiam achar que corriam o risco de serem ridicularizados diante do mestre sala.

BAIXE GRÁTIS O livro que é considerado o Manual do Artista Católico | Luiz Carvalho

Os sinais da terra exigem compromisso. O milagre do mudo que nada dizia, pode agora contar tudo o que viu. Atitudes modificas pela fé no evangelho e mudança de vida são testemunho. Sacrário brilhando, revoado de anjos, imagens chorando comprometem menos1. Os sinais de Jesus apontam para a realidade humana. Para os prodígios diários em nossa conversão. Confiar na providência. Mortificar os extintos e agir para o agrado do coração de Deus.     

 

"Amar significa amar o que é difícil de ser amado, de contrário não seria virtude alguma. Perdoar significa perdoar o imperdoável, de contrário não seria virtude alguma. Fé significa crer no inacreditável, de contrário não seria virtude alguma. E esperar significa esperar quando já não há esperança, de contrário não seria virtude alguma." (G. K. Chersterton)

 

Na citação de G. K. Chersterton1 mostra que viver na fé é um desafio, nossa via de santificação. Não deixa de ser um milagre diário, se não, seria fácil não pecar. Seria fácil ser santo. Já aos de coração endurecido, todas essas coisas não dizem nada. Se você não tiver fé não verá os sinais da terra, muito menos os dos céus.

 BAIXE GRÁTIS O livro que é considerado o Manual do Artista Católico | Luiz Carvalho

Por Gleicy Coelho, Membro da Comunidade Recado

 

 

Referências

1. Cônego Celso Pedro da Silva, Sacerdote da Arquidiocese de São Paulo, doutor em Sagrada escrituras pelo Angelicum de Roma. Professor emérito da faculdade de teologia Nossa Senhora da Assunção. 

 

 

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.