Série – Coordenando Artistas

Série – Coordenando Artistas

Introdução

 

Olá, irmãos. Começaremos hoje uma série de formações que serão postadas todas as semanas sobre o trabalho de coordenação em ministérios artísticos. Inicialmente, sugiro alguns textos que já postamos no site sobre o assunto, eles são também de grande valia para a nossa formação e o aprofundamento dos temas a seguir.

Existem muitos textos que trabalham lideranças e eles são de fácil acesso. Nessa série, pretendo trabalhar questões que não são abordadas ou que não englobam a realidade dos ministérios artísticos. Nós bem sabemos que nosso ministério de artes tem especificidades que outros ministérios não têm. Além da organização, tem uma realidade missionária mais forte, tem a sensibilidade artística, tem o estudo técnico... Enfim... Ser artista é um trabalho árduo, o que é justo, em vista do dom especial que Deus nos deu. Precisamos, portanto, saber cuidar do dom e das ovelhas que Deus nos confiou.

A primeira obrigação de um coordenador de ministério artístico é a vida de intimidade com Deus. Você, coordenador, não precisa ter grandes conhecimentos técnicos, não precisa ser o melhor, muito menos o que sabe tudo. Você precisa ter intimidade com Deus. Porque coordenar não é um mérito ou uma posição de vantagem em relação a outros, coordenar é um serviço, e como todo serviço, ele é feito em nome de alguém. É imprescindível que seu serviço seja feito em nome de Deus.

A vida de oração, a eucaristia, o jejum, a penitência, a confissão e tantos outros meios espirituais nos ajudam a estarmos em unidade com a vontade de Deus. Não fosse a vida em Deus, você coordenaria um grupo de artes. Existem muitos grupos de artes que são bons por ai, isso não levaria seu grupo à ruína. No entanto, esse grupo não estaria a serviço de Deus e não teria a potência de evangelizar os corações. Portanto, não seria um ministério. O que nos diferencia do mundo é nossa intimidade com Deus.

Nossa intimidade com Deus também vai nos ajudar a entender um dos principais pontos para ser um bom coordenador. Você não resolve e decide tudo sozinho porque é o coordenador. Você coordena para que o ministério tenha uma pessoa de referência, que se ocupe e se dedique mais ao ministério. Mas você pode e deve precisar da ajuda de outros. Por isso, é bom que tenha núcleos e que as demais ovelhas do ministério possam também ter funções, a fim de que todos tenham valor dentro do ministério. Distribuir tarefas não faz de você mais ou menos coordenador. Então, não ache que pode dominar o mundo, saiba precisar dos outros.

Caso você não esteja vivenciando esses pontos que abordei, faz-se necessário refletir e buscar um acompanhamento de uma autoridade maior que você dentro do seu grupo ou paróquia, um padre que o aconselhe, um formador ou acompanhador que já tenha essa função de lhe acompanhar, ou outra liderança que ajude a discernir como melhorar sua vida de oração ou a organização do seu ministério. Pedir ajuda não é fraqueza.

E o ponto principal para fazer seu ministério caminhar é a oração. Reze por você, reze pelo seu ministério e as ovelhas que fazem parte dele, reze pelo dom artístico que Deus lhe deu. Reze! O Espirito Santo certamente irá mostrar o que está em déficit e precisa ser mudado ou melhorado.

Acompanhe nossa série e partilhe conosco sobre seu ministério! Estamos a sua disposição!

 

Por Cláudia Pessoa, Membro da Comunidade Recado

 

 

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.