Série – As Virtudes de Nossa Senhora.

Série – As Virtudes de Nossa Senhora.

A caridade e paciência de Maria.

Hoje iremos abordar mais duas virtudes importantes e presentes na vida de Maria. Ela que é mãe e nos acolhe como seus filhos nos ama com um amor terno e incondicional. Seu amor por cada um de nós é puro e só deseja coisas boas para os filhos seus. Assim como uma mãe que se doa inteiramente para dar o melhor para seu filho, Maria também faz isso conosco.

A outra virtude é a paciência de Nossa Senhora, mulher forte, mãe admirável, que mesmo experimentando na alma todas as provações que vivenciou, suportou cada uma delas com paciência porque sabia que tudo era vontade de Deus e meditava tudo dentro do seu coração.

Caridade: Maria a cheia de graça ama a cada um de nós com todo o seu coração. E do seu coração de Mãe somente brotavam coisas boas. Ela amou, com tanta intensidade de duração, Deus e, por Ele, nunca deixou de amar os filhos que recebera na Cruz. Sua caridade chegou ao ponto de doar-nos Jesus, seu Divino Filho.

A caridade não é somente um sentimento, mas também um ato de ajudar nosso irmão sem esperar nada em troca. Todos os homens são chamados a crescer no amor até à perfeição e inteira doação de si mesmo, conforme o plano de Deus para sua vida. A caridade é doar-se, assim como Maria doou-se e como Jesus, enquanto homem, entregou-se na cruz para nos salvar, também nós devemos nos doar ao próximo, no trato com as pessoas da comunidade e na atenção com os nossos familiares. O amor é a essência do cristianismo e deve ser, portanto a marca de todo católico, “fazer o bem sem olhar a quem”!

 

Paciência: é uma virtude em que se busca manter o a emoção em equilíbrio, sem perder a calma, ao longo do tempo. Nossa Senhora passou por muitos momentos estressantes de provação, de incômodos e de dor, porém soube suportar tudo com resiliência e tranquilidade. Sabia que tudo era vontade de Deus e meditava tudo isso em seu coração, esperando com confiança.

Devemos pedir sempre a intercessão a Rainha dos Mártires para obter a paciência, pois ela viveu com a espada transpassada em seu coração e soube aceitar com paciência heroica esse punhal em sua alma. Ser paciente é saber agir com calma, liberto da ansiedade. É ouvir as pessoas, sem pressa, com atenção. A paciência se opõe a ira! “Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência, a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada produz a esperança. ” (Rm 5, 3-4).

 

Por Jacqueline Gelain, Membro da Comunidade Recado.

 

Referências

  1. Livro Consagra-te Totus Tuus, Editora Mater Dei.
  2. http://cleofas.com.br/imitando-as-virtudes-de-maria/