Série – As Virtudes de Nossa Senhora.

Série – As Virtudes de Nossa Senhora.

A humildade e a Fé de Maria.

 

São Luís Maria Grignion de Monfort diz que a verdadeira devoção a Santíssima Virgem é santa e leva uma alma a evitar o pecado e a imitar as virtudes de Nossa Senhora.

Jesus Cristo disse: “Se alguém quiser me seguir, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e me siga” (Mt 16,2).  Jesus Cristo encarnou-se e assumiu a nossa natureza para mostrar à humanidade que Ele é o modelo de todas as virtudes, e concedeu a Virgem Maria a graça singular de ser a Imaculada Conceição levando-a em corpo e em alma ao céu. Quis mostrar-nos que ela também pode ser modelo de virtude para todas as criaturas. Maria conduz todos os filhos que se entregam inteiramente nas mãos dela guiando-os pelo caminho da santidade.

Mas quais são essas virtudes que devemos imitar?

As virtudes são dez e fazem com que Nossa Senhora se assemelhe a Deus e glorifique o Pai, são elas: humildade, fé, obediência, oração, mortificação, pureza, caridade, paciência, doçura e sabedoria.

O exercício diário de imitar uma das dez virtudes da Virgem Maria nos faz transcender todas as barreiras que o pecado e os vícios nos impõem, e, com certeza, guia-nos, com sucesso, rumo ao céu.

Infelizmente, pouco conhecemos da vida de Maria para podermos nos deliciar da contemplação de suas virtudes por ela praticados e que tanto agradaram a Deus. Porém podemos encontrar nas Sagradas Escrituras conhecer um pouco mais sobre os seus atos virtuosos.

 

Humildade: Não há ninguém com mais motivos para se envaidecer do que Nossa Senhora. Porém sua humildade confunde-se ao próprio silêncio e aniquilamento de si, em todos os seus atos. E este reconhecer-se como humilde serva, é que esmaga a cabeça do demônio. Nossa Senhora nunca se esqueceu que tudo nela era dom de Deus (Tg 4,6; Jo3,27; ICor4,7). Guardava em seu coração as graças e favores divinos com os quais era agraciada por Deus. Ela oferecia ao Senhor os louvores que recebia, alegrava-se em servir ao próximo e colocava-se sempre em último lugar.

Devemos sempre buscar a humildade, para entender que tudo que adquirimos em qualidades e potenciais, devemos a Deus, tudo isso é dom de Deus. Essa humildade significa modéstia, compostura, ausência de vaidade. Simplicidade na maneira de se apresentar, comedimento na forma de se referir a si próprio. “Que eu diminua para que Tu cresças, Senhor”!

 

Fé: Feliz porque acreditou, aderiu com seu “fiat”, faça-se em mim segundo a Sua vontade, mesmo sem ver, sem entender, sem perceber assumiu para si os planos de Deus em sua vida.  Foi pela sua fé que Maria Santíssima foi proclamada bem-aventurada por sua prima Isabel (Lc 1,45). Na Paixão de Jesus, os discípulos foram tomados por dúvidas e somente a Virgem Maria manteve-se firme na fé, manteve-se de pé no caminho da Cruz. Santo Alberto, o Grande, diz: “a fé é um dom de Deus, e ao mesmo tempo, uma virtude”.

Compreendamos que o homem por si só, sem o auxílio divino, nunca terá fé, porque a fé é um dom de Deus. Ter fé é acreditar que se recebe uma graça muito antes de a possuir e é, acima de tudo, ter uma confiança inabalável em Deus.

 

Por Jacqueline Gelain, membro da Comunidade Recado.

 

Referências:

  1. Livro Consagra-te Totus Tuus, Editora Mater Dei.
  2. http://cleofas.com.br/imitando-as-virtudes-de-maria/