Será que o Ano da Misericórdia já caiu no esquecimento?

Será que o Ano da Misericórdia já caiu no esquecimento?

No dia 8 dezembro de 2015 Papa Francisco proclamou, abriu o ano Jubilar extraordinário dedicado a Misericórdia, ano esse que o santo padre, através da Igreja nos convida a fixar o olhar intensamente na Misericórdia Divina com essas palavras ressalta: “Há momentos em que somos chamados, de maneira ainda mais intensa, a fixar o olhar na misericórdia, para nos tornarmos nós mesmos sinal eficaz do agir do Pai. Foi por isso que proclamei um Jubileu Extraordinário da Misericórdia como tempo favorável para a Igreja, a fim de se tornar mais forte e eficaz o testemunho dos crentes”. (Misericordiae Vultus - Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, Francisco Bispo de Roma).

Será que tenho vivido devidamente o que esse tempo nos propõe? Ou será que já caiu no esquecimento?!

É o tempo favorável de nos tornamos mais fortes e eficazes em nosso testemunho diário de cristãos e vivência do Evangelho e para isso o Santo Padre nos indicou um caminho bem prático que pode nos ajudar na vivência concreta desse tempo, que são as obras de Misericórdia sendo elas num total de 14, divididas em 7 obras espirituais e 7 obras corporais.

As obras de Misericórdia Espirituais são: 1- Dar bom conselho; 2- Corrigir os que erram; 3- Ensinar os ignorantes; 4- Suportar com paciência as fraquezas do próximo; 5- Consolar os aflitos; 6- Perdoar os que nos ofenderam; 7- Rezar pelos vivos e pelos mortos.

Pensando em minha realidade concreta de vivencia de meu ministério e de minha paróquia, pensando no convívio com meus irmãos, esses que o Senhor mesmo escolheu para conviver comigo, tenho de fato buscado viver essas obras ou para mim elas são indiferentes ou nem sabia que existiam? Sou paciente, procuro corrigir os irmãos na caridade fraterna, tenho disponibilidade para ensinar aqueles que não tem o conhecimento que eu tenho? Consigo lidar bem com as limitações do meu irmão e com as minhas próprias? Dando um passo a mais, consigo perdoar as ofensas sofridas no exercício do meu ministério ou fico ruminando as injúrias sofridas? Essas são perguntas importantes que merecem respostas sinceras não apenas para esse tempo de graça, mas para todo o tempo de convívio fraterno com os irmãos.

Mas ainda não acabou, temos também as 7 obras de Misericórdia corporais que, de uma forma bem prática e concreta, também nos ajudam a entrar na espiritualidade desse ano santo. São elas: 1- Dar de comer a quem tem fome, 2- Dar de beber a quem tem sede, 3- Vestir os nus, 4- Visitar os doentes, 5 – Visitar os presos, 6- Acolher os peregrinos, 7- Enterrar os mortos.

É importante parar, rezar e meditar com essas obras! Será que simplesmente acho bonitas as indicações, mas não as concretizo no meu dia a dia?

O Ano Jubilar terminará na solenidade litúrgica de Jesus Cristo, Rei do Universo, 20 de Novembro de 2016, portanto amados ainda dá muito tempo para refletirmos sobre as nossas ações e comportamentos e para despertarmos ao que o Santo Padre o Papa Francisco nos aponta como caminho para “acordamos nossa consciência, muitas vezes adormecida perante o drama da pobreza, e de entrar cada vez mais no coração do Evangelho, onde os pobres são os privilegiados da misericórdia divina”.

Tais pobres também podem ser nossos irmãos de ministério, ou talvez você mesmo! Hoje é o tempo, o ontem já passou e o amanhã ainda não existe, o agora é o tempo da graça, deixemo-nos surpreender por Deus através de sua Misericórdia e suas obras.

 

Referências:

- Misericordiae Vultus. O rosto da Misericórdia (Bula de Proclamação do Jubileu Extraordinário da Misericórdia) FRANCISCO, Bispo de Roma.

opusdei.org.br

cleofas.com.br

 

Por Taciele C. Lucas, Membro da Comunidade Recado.

 

Qual a forma de fazer as formações católicas chegarem ao Brasil e ao mundo? CLIQUE AQUI e temos uma solução.