Se o cansaço bater a sua porta, descanse em Deus!

Se o cansaço bater a sua porta, descanse em Deus!

E eu dizia: "Cansei-me inutilmente, em vão e por nada gastei as minhas forças" (Is 49,4). Quantas e quantas vezes nos sentimos assim em nosso apostolado. Ás vezes a impressão que se dá é que estamos falando para as paredes. Pessoas não dispostas a ouvir, outras querendo ouvir só o que lhes convém, outras interpretando segundo seus interesses nem sempre tão positivos. Gastam-se horas para que um planejamento suficiente seja realizado, mas na hora de sua realização, esquece-se tudo. O seu jeito tem que imperar sempre. A última voz e a razão de todas as coisas não estão na comunidade ou na autoridade do pastor, mas em sua subjetividade. Isso tudo claro que cansa. E questionamentos começam a surgir: para que tudo isso? Não seria mais fácil manter apenas o suficiente para que se continue como está? 


Mas a resposta do Senhor vem de imediato: "mas o meu direito está no Senhor e a minha recompensa está no meu Deus". É só mirar o foco do apostolado em Cristo Jesus. Ele também teve os seus dias de cansaço, basta olharmos a ação dele no templo. Mas o cansaço dele se transformou em força motivadora para continuar, porque Ele descansava no Pai. De lá que Ele tirava sua força. De lá que vinha a recompensa D’ele: o amor do Pai. Esta é a recompensa Dele. E não seria também a nossa? Claro que sim! Não devemos esmorecer ao ponto de desistirmos, pararmos. Há uma meta a ser alcançada! Se o cansaço te pega no meio do caminho, descansa em Deus, levanta-te e come, segue caminho. Deus há de ser sempre o sustento daquele que se dá por Ele.

 

Por Padre Sirlei Oliveira, vocacionado da Comunidade Recado.