Que tens tu?

Que tens tu?

"Que tens tu, ó pó e cinza, para te gloriares?" (Do livro Na Escola do Sagrado Coração de Jesus com Margarida Maria, página 27).

 

A repreensão de Jesus a Margarida Maria é dura e a faz chorar muito! Choro de criança que recebe uma correção amorosa, ainda que severa, do Pai que é só Amor! Correção de uma falta tão comum na Humanidade, com uma preferência especial por artistas: a Vaidade! Sim, este bicho movido a palmas gosta muito de se manifestar no meio artístico. Voa por sobre a cabeça dos incautos e os pica de forma sutil, sem causar dor e nem coceira, mas com um efeito muito pior: Provoca uma dilatação exacerbada do amor próprio, fazendo esquecer a verdadeira origem dos seus dons!

 

Artista católico, é necessário ter muito cuidado com o veneno da Vaidade. É necessário ter a consciência de que você não é nada e não tem nada. Que tudo vem do Alto! Tudo é Graça! Tudo é dom de Deus! Ofereça as palmas recebidas para Jesus, pois somente Ele é digno. Elogios são bons, mas devem ser acolhidos com discernimento. Não podem ser transformados em fermento para o amor próprio. Por fim, é necessário ter uma Vida de Oração consistente, pois não há vaidade no mundo que resista a um coração unido a Cristo.

 

"Sou leitora das minhas próprias obras, pois não sou autora delas. Se é bom, é porque é belo. E a Beleza não é obra minha." (Adélia Prado).

 

 

Por Alexandre Reis, Membro da Comunidade Recado.