Perdoar como pecadores: Decepção e expectativas

Perdoar como pecadores: Decepção e  expectativas

“A decepção é fruto de expectativas.” Creio que você já ouviu várias vezes essa frase. Então, porquê ainda insistimos em nos decepcionarmos? Quando alguém revela um comportamento inesperado, e dentro de uma situação uma pessoa demonstra “suas garras” para o outro e, talvez até para si, uma característica até então desconhecida, muitas vezes, acabamos nos decepcionando, pois não esperávamos que ela fosse agir daquela forma.

Amedeu Cencini, em seus escritos, nos afirma que “em uma comunidade, tudo deve ir bem. Assim, parece acontecer, com efeito, pelo menos enquanto seus membros puderem continuar a fingir e a esconder-se. Mas esse agregado de pessoas que nada tem para perdoar-se, tem bem pouco de cristão. A pretensão de que a comunidade seja perfeita tem algo de diabólico e provoca somente frustrações e ressentimentos. Ao contrário, uma comunidade que ‘admite’ o fato de os próprios elementos serem limitados, diferentes e difíceis, culpados e pecadores, nasce a convicção da necessidade do perdão do outro".

É o Espírito Santo que vem em socorro de nossas fraquezas e ordena com um esforço humilde e paciente aquilo que somos chamados a sermos: imitadores de Cristo. A sabedoria nos ensina que uma pitada de bom humor e maturidade são essenciais para o bom desenvolvimento em qualquer relacionamento. Se podermos nos reconciliarmos com o outro agora, que o façamos, se não... o amor tudo crê, tudo espera, tudo suporta...!

 


Por: Waleska Bezerra

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.