Os Três Superpoderes da Arte

Os Três Superpoderes da Arte

A arte, em qualquer uma de suas formas de expressão, tem o poder de construir um lugar de encontro entre pessoas, inclusive com Deus. Ela é uma ponte que faz com que os distantes e diferentes se encontrem!

A arte tem em si essa universalidade da linguagem, ela faz pessoas totalmente distintas se encontrarem e se colocarem no mesmo patamar, ela evoca um diálogo, uma predisposição à comunhão, à amizade, à partilha de dons, de sentimentos.

Uma música, uma pintura, uma dança, seja qual for a expressão artística, une em contemplação ricos e pobres, idosos e jovens, homens e mulheres, todos numa mesma plateia, sensibiliza os corações e desencadeia a comunicação!

A arte é ministra da unidade! A arte, por si mesma, ministra a união entre as pessoas!

Aprofundemos esses três poderes da arte: união, sensibilização e comunicação.

A arte une. Da mais simples à mais sofisticada, da mais pobre à mais rica, da mais popular à mais nobre, ou da mais contemporânea à mais clássica, a arte une as pessoas. Em primeiro lugar para a apreciação, para a contemplação. A expressão artística, antes de tudo, chama a atenção para si, coloca-se no centro, porque o centro agora se desloca para onde ela está sendo desempenhada. Todos se voltam à beleza que ela exubera. Mesmo que distintas entre si, todas as pessoas alcançadas por uma expressão artística se tornam uma só coisa: uma plateia. Não importa se estamos no circo, no teatro, na calçada, no escritório, na igreja, no metrô ou parados no semáforo, todos nos tornamos expectadores! Todos nos tornamos iguais!

A arte sensibiliza. O Catecismo da Igreja Católica, cita no §2501: “a arte é expressão propriamente humana”, e essa afirmação me convidou a refletir a questão humana da arte. Se ela é propriamente humana, podemos dizer que ela atinge diretamente o interior do homem a partir de suas portas e janelas que são os cinco sentidos: visão, audição, olfato, tato, paladar! Quando a arte toca esses sentidos, produzem sensações que refletem imediatamente no interior do homem, ativando sentimentos dos mais inusitados, despertando a memória, trazendo lembranças à tona e inúmeras reações, acordando sonhos adormecidos, esclarecimentos, filosofias, questionamentos, conclusões, decisões. A arte pode devolver a vida a alguém, e até o contrário, pode levar até ao suicídio, à tristeza, a depressão, a depravação, enfim, a arte sensibiliza o ser humano, abre portas interiores.

A arte comunica. Certa vez ouvi um artista e professor de Artes afirmar que a arte só o é quando comunica algo. Se pensarmos em “expressão artística”, logicamente pensamos em comunicação, porque ninguém se expressa sem um fim de comunicar algo. Por esse viés podemos afirmar isso: a arte, por ser expressão, deve comunicar algo. Mas, mais do que isso, a arte tem o poder de gerar comunicação. Ela comunica uma mensagem que por sua vez será comunicada, comentada, criticada, refletida, discutida, testemunhada, reproduzida e perdurará por tempo indeterminado. Uma expressão artística gera uma comunicação infindável, quase que eternizada! Cada vez que é recolhida por alguém a mensagem se espalha mais e mais.

Você, artista, traz consigo mais que um belo dom, você tem em sua arte esses três superpoderes: unir, sensibilizar e comunicar! O que você tem feito com isso?!


Por: Felipe Zanotto Reigota - Teólogo - Membro da Comunidade Recado

Qual a forma de fazer as formações católicas chegarem ao Brasil e ao mundo? CLIQUE AQUI e temos uma solução.