Ornamentação Litúrgica 1

Ornamentação Litúrgica 1

Fundamentação Bíblica

 

Iniciamos hoje uma série com pequenas reflexões e dicas sobre ornamentação litúrgica. Semanalmente nos encontraremos aqui para conversar um pouco sobre este ministério artístico que ainda é pouco difundido na Igreja, mas que é de extrema importância.

Para falar dessa importância do Ministério de Ornamentação Litúrgica iremos partir da sua fundamentação bíblica.

Comecemos pelo Antigo Testamento, no livro de Gênesis, capítulo 2, versículo 8: “Ora, o Senhor Deus tinha plantado um jardim no Éden, do lado do oriente, e colocou nele o homem que havia criado.” Percebemos aqui que Deus, antes de criar o homem, criou para ele um lugar e não foi qualquer lugar, mas foi um lugar paradisíaco. Se lermos o relato da criação do mundo, se olharmos ao nosso redor, perceberemos que, de fato, Deus caprichou nesse “lugar” que ele nos fez! Sim, Deus preparou um lugar para nós! A Constituição Dogmática Gaudium et spes vai nos dizer: “Tudo quanto existe sobre a terra deve ser ordenado em função do homem, como seu centro e seu termo” (GS 12) e afirma ainda que o homem é a “única criatura sobre a terra a ser querida por Deus por si mesma” (GS 24). Com tudo isso o Magistério da Igreja vem nos dizer, sem sombra de dúvida, que todo esse “lugar” maravilhoso e perfeitamente harmônico foi criado para o homem, pensando nele e para ele, por amor! Pensando que Deus se dedicou com tanto carinho e criou uma natureza tão exuberante, rica em detalhes, com tantas formas, tamanhos, cores, perfumes e texturas, uma natureza tão diversificada, da qual ainda existem muitas espécies que nem são conhecidas, diante disso tudo como não nos sentirmos importantes, como não nos sentirmos acolhidos com tanta beleza e riqueza de detalhes? O próprio Deus vem nos ensinar que preparar bem um lugar para receber alguém é sinal de acolhida e amor! Pensar nos detalhes é amar em cada detalhe!

Partimos agora para o Novo Testamento, no Evangelho segundo Lucas, capítulo 22, 7-15: “Raiou o dia dos pães sem fermento, em que se devia imolar a Páscoa. Jesus enviou Pedro e João, dizendo: Ide e preparai-nos a ceia da Páscoa. Perguntaram-lhe eles: Onde queres que a preparemos? Ele respondeu: Ao entrardes na cidade, encontrareis um homem carregando uma bilha de água; segui-o até a casa em que ele entrar, e direis ao dono da casa: O Mestre pergunta-te: Onde está a sala em que comerei a Páscoa com os meus discípulos? Ele vos mostrará no andar superior uma grande sala mobiliada, e ali fazei os preparativos. Foram, pois, e acharam tudo como Jesus lhes dissera; e prepararam a Páscoa. Chegada que foi a hora, Jesus pôs-se à mesa, e com ele os apóstolos. Disse-lhes: Tenho desejado ardentemente comer convosco esta Páscoa, antes de sofrer.”

Em primeiro lugar, ao ler esta passagem do Evangelho, entendemos que foi o próprio Jesus quem mandou preparar um lugar para a celebração da Páscoa, ou seja, foi o próprio Senhor quem instituiu nosso Ministério de
Ornamentação Litúrgica e cumpri-lo é um sinal de obediência à ordem de Jesus. O Proêmio da Instrução Geral do Missal Romano, nº 01, vai nos dizer: “Quando ia celebrar com seus discípulos a ceia pascal, onde instituiu o sacrifício do seu Corpo e Sangue, o Cristo Senhor mandou preparar uma sala ampla e mobiliada (Lc 22,12). A Igreja sempre julgou dirigida a si esta ordem, estabelecendo como preparar as pessoas, OS LUGARES, os ritos e os textos, para a celebração da Santíssima Eucaristia [...] manifestando sua fé e amor imutáveis para com o supremo mistério eucarístico...”, ou seja, obedecer a essa ordem de Jesus é sinal de fé e amor a Ele e ao Mistério Eucarístico.

Em suma, o Ministério de Ornamentação litúrgica é um convite à prática do mandamento do amor, porque amamos a Deus quando obedecemos à ordem de Jesus em preparar um lugar para a Ceia do Senhor e amamos o próximo, quando preparamos o local da Ceia do Senhor para que nossos irmãos possam bem participar.

Na próxima semana continuaremos nossa reflexão! Não percam!

 

Por Felipe Zanotto Reigota, membro da Comunidade Recado.

 

Assista vídeos relacionados:

- Ornamentação liturgica é vocação?

Jesus se preocupou (e muito!) com a ornamentação litúrgica

 

 

 CLIQUE AQUI para descobrir porque esse texto não foi feito só para você e como ele pode chegar à sua cidade INTEIRA!