O que um Ministro de Música precisa para servir a Deus?

O que um Ministro de Música precisa para servir a Deus?

Costumamos dizer que o Ministério de Música é a ponta da lança. Ponta fina, que penetra mais facilmente; é resistente. Só Deus é capaz de abrir uma brecha nesses corações tão fechados; Ele o faz com um instrumento muito especial: você, músico; com sua arte, que é ponta fina, resistente; com a música que vem com o poder de Deus, que penetra os corações mais endurecidos.

O Ministro de Música depende da graça divina, da graça do Alto. Pois é através do Espírito Santo que seu tocar, cantar ou ministrar terá acesso aos corações mais endurecidos. Esse é o convite de Deus para nós: estamos em unidade com Ele, para que Ele se utilize de nós, de nosso serviço, em unidade com Seu Espírito Santo.

Precisamos reconhecer que nossos dons de cantar e tocar são graça de Deus. A diferença entre nós e os artistas seculares é que nós sempre transportaremos aquilo que recebemos para Deus e para o outro, não retendo para nós mesmos, como acontece no mundo secular.

Para sermos Ministros de Música precisamos ter ouvido para Deus, estarmos atentos à voz de Deus, como Samuel, que aprendeu a reconhecer a voz do Senhor. Assim como o nosso ouvido precisa estar afinado para a música, como servos de Deus, ele também precisa estar afinado para a voz do Senhor, saber reconhecê-la e obedecê-la. O nosso serviço é prestado a Deus, em favor dos irmãos, por isso, precisamos escutar o que Ele tem para nos falar, quais são Suas ordens, quais são os Seus desígnios e Seus desejos.

“O músico que descobre a graça de ser um instrumento direto de Deus na Igreja descobre a realização do servir Aquele que o chamou em Sua infinita misericórdia, descobre o testemunhar a força do Evangelho em forma de canção. Um verdadeiro ministro crê que o Espírito age no seu dom de anunciar o Evangelho através de uma música, não só por talento, mas pela graça tão somente do Espírito Santo inspirador direto e único, capaz de transformar, curar e libertar os corações.” (Juliana Mendes – Musicista e Membro Compromissada da Comunidade Recado).

Tenhamos a coragem e a ousadia de sermos ponta de lança nas mãos de Deus e, assim, penetrarmos o mais profundo dos corações petrificados, duros, mas sedentos de Deus. Como diz o fundador de nossa Vocação, Luiz Carvalho: “O mundo precisa da nossa arte para conseguir voltar o olhar para o eterno.”.

 

Por Flávio Cavalcante, Membro da Comunidade Recado.

 

 

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.