O que te impele?

O que te impele?

Jesus no Evangelho Segundo Mateus, capítulo 9, 34 é acusado pelos fariseus de expulsar demônios pelo chefe dos demônios. No versículo posterior Jesus mostra sua reação diante de tais acusações: “Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino e curando todo tipo de doença e enfermidade”. Jesus não para diante das críticas e calúnias, porque Ele sabe, de fato, o que está anunciando, sabe quem o enviou e, ainda, Ele sabe qual é o Espírito que age nele. E você, sabe?! O que você anuncia? Quem te enviou? Que espírito, que força te impele?

No versículo 36 percebemos ainda que o que impulsiona Jesus não são os elogios, o reconhecimento, mas é a compaixão que Ele sente ao ver as multidões!

Esse Evangelho nos interpela: “O que me impele de anunciar o Evangelho do Reino? Será que é a fama, são os elogios, os louvores, os apoios humanos, ou pior, será que eu não anuncio porque os grandes desse mundo não me aceitam, porque não reconhecem em mim os talentos ou a ação de Deus?

Só uma coisa deve fazer arder o nosso coração e nos impelir a anunciar: a compaixão pelas multidões! Pare e pense quantas pessoas nesse “mundão” a fora ainda não conhecem o amor de Deus e vivem um amor ilusório, uma alegria efêmera, paz e liberdade falsificadas? Quantos ainda são escravos do pecado, de estruturas egoístas, ou são vítimas dos governos corruptos?

É fato que somos poucos trabalhadores na messe, mas não podemos mais perder tempo! Não podemos deixar as multidões morrendo de fome e sede de Deus, enquanto do nosso interior brotam rios de água viva!

Nós anunciadores, trabalhadores da messe, artistas, cantores, músicos, atores, dançarinos, pregadores, ministros de oração por cura, enfim, nós cristãos não podemos deixar que nada e nem ninguém cale em nós o amor que trazemos e anunciamos. Assim como faziam os apóstolos nos primórdios da Igreja, que mesmo a custa de perseguições, enchiam Jerusalém com a Palavra de Deus (Atos 5, 28), assim devemos nós fazer, espalhar o amor de Deus por onde formos, independentemente dos ventos contrários!

Diz o Papa Francisco: “Há tanta necessidade de cristãos que testemunhem com alegria o Evangelho na vida de todos os dias”. Ministros das Artes, não dependam de aplausos e espaços midiáticos, Pregadores e Ministro de Oração por Cura, não dependam de púlpitos e grandes concentrações de pessoas pra exercer seu ministério, não dependam da aprovação de falsos mestres, anunciem com a vida, no dia a dia, impelidos pela força do Amor que um dia mudou o rumo da nossa vida! Isso basta!

 

Por Felipe Maria, Membro da Comunidade Recado.

 

Você acha que está faltando mais formação para os artistas católicos? Então CLIQUE AQUI e temos uma solução para te apresentar.