O que fazer com a minha debilidade?

O que fazer com a minha debilidade?

Partindo da passagem do Evangelho de Lc 14, 15-24, para nos aproximarmos de Jesus e de seu banquete precisamos ser pobres, aleijados, cegos e mancos. Não é apenas a necessidade que nos leva para Deus, mas a nossa debilidade.

O pobre, em oposição ao que comprou um campo, não tem com o que se preocupar, não tem bens para adular. O aleijado, em oposição àquele que comprou os bois, não poderia andar com eles pelos campos e levá-los pastar. O cego e o manco, que não são debilitados, mas incompletos, se opõem ao que acabou de se casar, que agora está “completo”. Jesus não chama apenas esses, mas esses são os que atendem o seu chamado.

Por vezes Jesus nos faz pobres, aleijados, cegos e mancos para que voltemos nosso olhar a Ele e nos enxerguemos debilitados em sua ausência. Geralmente o que queremos é estar perto de Deus, nos servirmos de seu banquete, mas sem sofrimentos.

O que acontece é que muitas vezes o Senhor permite que nos aconteçam coisas para nos colocar em nosso lugar, ao seu lado. O pastor sabe exatamente onde a ovelha deve estar e pode, inclusive lhe quebrar uma perna para que fique em seu lugar, ele a faz debilitada, frágil para que ela não se perca. Nossa teimosia, muitas vezes, faz com que Jesus necessite usar dessa pedagogia conosco.

Devemos sempre pedir para que Deus seja o centro de nossas vidas, tendo em mente que, para que isso ocorra, Ele terá que tirar o que estiver ocupando seu lugar. Nesse processo nós nos sentimos frágeis e incompletos, mas só assim encontraremos a verdadeira alegria de sua presença, que é muito maior que qualquer dor ou dificuldade.

Pode ser que o Senhor nos cure dessa ferida depois do processo, ou não. Pode ser que, sem essa dificuldade, nós nos percamos e nos distanciemos de Deus. Nesse caso, devemos acolher e amar essa dificuldade, pois é ela que nos possibilita o verdadeiro encontro com o Amado.

Que tenhamos o coração aberto e peçamos sabedoria a Deus para entender onde nos encontramos nesse processo e tenhamos como fim último estar na presença de Deus e nos servir com Ele de seu grandioso banquete!

 

Rayssa Miranda, membro da Comunidade Recado