O que é a devoção mariana?

O que é a devoção mariana?

O culto é uma honra que se tributa a uma pessoa superior a nós. Deus ao constituir sua Mãe em aura de santidade, cumulando-a de graças, expressa-nos a sua vontade de que a honremos. Louvar Maria é louvar o Filho, e, por Ele, a Trindade Santíssima. Honrar Maria é também deixar que ela nos conduza até o Coração de Jesus. Ela é o caminho mais fácil de buscarmos a intimidade profunda com Deus.

Tributa-se a Maria o culto de veneração suprema (hiperdulia), devido a sua dignidade de ser escolhida para ser Mãe de Deus, diferente do culto de adoração (latria) reservado somente a Deus, e do simples culto de veneração (dulia) próprio dos outros santos.

A verdadeira devoção consiste e procede de um ato de fé, não é um sentimento, é uma decisão diária, onde reconhecemos a excelência de Maria, e assim somos levados a um amor filial a ela e também a imitarmos as suas virtudes. Ela deve ser modelo para nós na busca de uma vida mais santa.

 

“Antes de tudo, é sumamente conveniente que os exercícios de piedade à Virgem Maria expressem claramente a nota trinitária e cristológica que é intrínseca e essencial. Na Virgem Maria tudo é referido a Cristo e tudo depende d’Ele: com vistas a Ele, Deus Pai. Deus Pai a elegeu desde toda a eternidade como Mãe toda santa e a adornou com os dons do Espírito Santo que não foram concedidos a nenhum outro” (Paulo VI, Marialis cultus 24). Ou seja, é necessário que peçamos sempre a Maria que nos ensine a colocar Cristo como o centro de nossas vidas, assim com ela o fez. Além disso, é necessário que os exercícios de piedade ponham mais claramente de manifesto o posto que ela ocupa na Igreja: o mais alto e mais próximo de nós depois de Cristo.

 

A Igreja, para honrar a Maria, celebra ao longo do ano litúrgico, diversas Festas Marianas. O documento Marialis Cultus do Concílio Vaticano II exorta que se promova o culto, especialmente o litúrgico.¹ O Magistério sublinhou de modo particular duas devoções marianas: o Ângelus e o Rosário.

Por fim, existem outras práticas de devoção mariana, as quais são: confrarias marianas, escapulário do Carmo, mês de Maria, medalhas, sábados dedicados a Maria, peregrinações a Santuários, consagração ao seu Imaculado Coração, etc. As graças provenientes destas práticas marianas são inúmeras e incontáveis.

 

Por Jacqueline Gelain, membro da Comunidade Recado.

 

Referências

 

  1. http://w2.vatican.va/content/paul-vi/pt/apost_exhortations/documents/hf_p-vi_exh_19740202_marialis-cultus.html
  2. http://www.amoranossasenhora.com.br/curso-de-teologia-mariologia-712/