O que diz os documentos da Igreja sobre a música litúrgica?

O que diz os documentos da Igreja sobre a música litúrgica?

O que diz os documentos da Igreja sobre a música litúrgica?

 

Neste texto veremos alguns trechos extraídos de documentos sobre a música litúrgica.

Segundo PIO X,

“...uma composição religiosa será tanto mais sacra e litúrgica quanto mais se aproxima no andamento, inspiração e sabor da melodia gregoriano, e será tanto menos digna do templo quanto mais se afastar daquele modelo.” (DOCUMENTOS... 2017)

A tradição da igreja nos revela a beleza do canto gregoriano que sempre foi conservada pelos santos padres. Não somente a música, mas toda a Liturgia na Igreja Católica é belíssima e dona de uma riqueza que serve para que os fiéis participem do sacrifício de nosso Senhor Jesus Cristo, tendo como fim na música sacra a glória de Deus e a santificação dos fiéis.

Diante da Sacrosanctum Concilium temos a seguinte leitura sobre a Dignidade da música sacra:

“A tradição musical de toda a igreja é um tesouro de inestimável valor, que se sobressai entre todas as outras expressões de arte, sobretudo porque o canto sagrado, intimamente unido com o texto, constitui parte necessária ou integrante da liturgia solene.
O canto sacro foi enaltecido quer pela Sagrada Escritura, quer pelos santos Padres e pelos romanos Pontífices que, recentemente, a começar por são Pio X, salientaram com insistência, a função ministerial da música sacra no culto divino.
Por esse motivo, a música sacra será tanto mais santa quanto mais intimamente estiver unida à ação litúrgica, quer como expressão mais suave de oração, que favorecendo a unanimidades, quer, enfim, dando maior solenidade aos ritos sagrados. A igreja, porém, aprova e admite no culto divino todas as formas de verdadeira arte, dotadas das qualidades devidas”. (DOCUMENTOS... 2017)

Àqueles que possuem dons artísticos que buscam a arte religiosa, saibam que é necessária a inspiração pela fé e pelo amor para atuar no ofício da música sacra segundo o documento Musicae Sacrae Disciplina.

“...o artista que tem fé profunda e leva conduta digna de um cristão, agindo sob o impulso do amor de Deus e pondo os seus dotes a serviço da religião por meio das cores, das linhas e da harmonia dos sons, fará todo o esforço para exprimir a sua fé e a sua piedade com tanta perícia, beleza e suavidade, que esse sagrado exercício da arte constituirá para ele um ato de culto e de religião, e estimulará grandemente o povo a professar a fé e a cultivas a piedade. Tais artistas são e sempre serão tidos em honra pela Igreja; esta lhes abrirá as portas dos templos, visto comprazer-se no contributo não pequeno que, com a sua arte e com a sua operosidade, eles dão para um mais eficaz desenvolvimento do seu ministério apostólico.” (DOCUMENTOS... 2017)

Por fim cabe ressaltar a importância do aprimoramento tanto dos dons artísticos quanto dos dons da oração e outros que o Espírito Santo nos cumula através de nossa entrega de vida a Deus. Ele quer precisar de nós e conta com nosso sim.

 

Por Rafael Meira membro da Comunidade Recado

Referência

DOCUMENTOS sobre a música litúrgica (1903-2003). 2. ed. São Paulo: Paulus, 2017.