O Primeiro Domingo do Advento

O Primeiro Domingo do Advento

No primeiro domingo do advento somos convidados à reflexão e à transformação de nossa vida para que ela se configure à vida de Cristo. Assim, nesse domingo “o primeiro do Advento, a liturgia nos fala de reconstrução. Temos, pela frente, um tempo para reconstruir, restaurar nossa vida de acordo com as virtudes teologais: fé, esperança e amor.”[1]

            A liturgia nos convida a sair da atitude de comodismo e nos prepararmos numa postura ativa para a vinda de Jesus. Impulsionados pela vida nova que é anunciada com a vinda de Cristo “é fundamental, nessa atitude, a vivência do amor: é ele o centro do nosso testemunho pessoal, comunitário, eclesial.”[2]

            O caminho de fé cristã é contínuo, um constante processo de transformação na vivência das virtudes tendo Cristo como centro. Por isso, neste primeiro domingo do advento somos chamados a mergulhar no mistério do nascimento de Jesus para viver a cada semana deste tempo a conversão de nossa vida na alegria e esperança junto com a igreja.

            No advento, a primeira vela é acesa, em geral se utiliza a cor roxa que representa vigilância, espera e penitência, para preparar-nos para Aquele que virá. No advento a igreja faz “um convite à vigilância (cf. Lc 21,34-36): é necessário manter uma atenção constante, a fim de que as preocupações terrenas e as cadeias escravizantes não impeçam os discípulos de reconhecer e de acolher o Senhor que vem.”[3]

            Nesta primeira semana do advento, a palavra de Deus aponta para a vivência da vigilância na espera ativa, para acolher Cristo e permitir que Ele nos transforme por inteiros e seja vida em nossas ações e palavras.

 

Por:  Michele dos Santos Dias, vocacionada da Comunidade Recado.



[1] https://www.vaticannews.va/pt/igreja/news/2018-12/refexao-primeiro-domingo-advento

[2] http://www.dehonianos.org

[3]   http://www.dehonianos.org/liturgia