O olhar amoroso de Jesus

O olhar amoroso de Jesus

Tanto o Evangelho de João quanto o de Mateus nos relata uma primeira ação do Mestre: Jesus vê! Ao ver Simão e André convida-os a segui-lo, e estes ao se perceberem vistos por Jesus seguem-no. Desta forma, tornam-se discípulos porque sentiram o olhar de Jesus, que não foi qualquer olhar, mas um olhar que cativa, que transmite amor.

Outro fato relevante é narrado no Evangelho segundo João, o testemunho de João Batista a respeito de Jesus: “Ao ver Jesus que passava, disse: ‘Eis o Cordeiro de Deus’. Os dois ouviram-no falar e seguiram a Jesus.” (Jo 1,36-37). É a partir desse anúncio de Batista que seus discípulos ouviram e passaram a seguir o Cordeiro de Deus. Esse seguimento dá-se pela curiosidade. Era necessário saber o porquê desse anúncio, desse testemunho dado por João. Quem era aquele homem que despertava tamanha euforia, entusiasmo e curiosidade? Vendo Jesus que o seguiam-no, olhou para eles (novamente o olhar de Jesus que intriga, que desconcerta) e perguntou-lhes: “que estais procurando?”; e eles disseram: “Rabi, onde moras?” (Jo 1, 38). E o que responde Jesus: “Vinde e vede”. Tiveram uma experiência com Jesus, uma experiência de amor; o olhar do Mestre. A partir dessa experiência, passaram também a testemunhar a respeito de Jesus. André logo foi relatar a Pedro o acontecido e este, por sua vez, sentiu-se levado a conhecer esse tal Jesus e, foi ter com Ele. Mais uma vez o olhar de Jesus penetra profundamente a alma dos homens: “Ele o conduziu a Jesus. Fitando-o disse Jesus: ‘Tu é Simão, filho de João; chamar-se-á Céfas’ (que quer dizer Pedra).” (Jo 1, 42).

Podemos perceber que a primeira motivação do seguimento desses discípulos fora a curiosidade, porém, depois do primeiro contato, da primeira experiência com Jesus, passaram a segui-lo porque sentiram que do seu olhar brotava um olhar de amor, de misericórdia, que só poderia vir do Messias. Suas Palavras eram palavras de vida eterna, como viria Pedro a testemunhar tempos depois (Jo 6,68).

O seguimento a Jesus passou de curiosidade à certeza de que se tratava realmente do Messias. Tanto que em Marcos, dois de seus discípulos se antecedem aos demais e pedem que Jesus conceda-lhes permanecerem com Ele, um à direita e outro à esquerda quando chegar a Sua glória (Mc 4, 37). Esse pedido mostra que os discípulos a essa altura do convívio com Jesus, testemunhando as curas e os milagres realizados por Ele, reconheceram-no como o Rei Messiânico, o Cristo Jesus.

Deixemo-nos ser atraídos pelo olhar de Jesus, envolvidos por esse olhar que transborda em amor e misericórdia, prontos a dizermos, como Pedro: “... só Tu tens palavra de vida eterna”. 

Por Flávio Cavalcante, Membro da Comunidade Recado.

 

Você acha que está faltando mais formação para os artistas católicos? Então CLIQUE AQUI e temos uma solução para te apresentar.