O Coração aberto de Jesus

O Coração aberto de Jesus

O Coração aberto de Jesus

 

Segundo o Catecismo da Igreja Católica, “a oração da Igreja venera e honra o Coração de Jesus, como invoca seu Santíssimo Nome. Adora o verbo encarnado e seu Coração, que por nosso amor se deixou transpassar por nossos pecados. A oração cristã gosta de seguir o caminho da cruz (Via-sacra), seguindo o Salvador. As estações, do Pretório ao Gólgota e ao Túmulo, marcam o caminho de Jesus, que resgatou o mundo por sua santa Cruz.”¹  O Coração de Jesus foi transpassado por amor a cada um de nós. O sangue que jorra dessa abertura que nunca se estanca lava-nos de todos os nossos pecados. A cada contemplação e oração com a Via-Sacra é como se tivéssemos o nosso coração purificado pelo sangue e água que escorre do seu Santíssimo Coração.

O Catecismo da Igreja ainda diz que “Jesus conheceu-nos e amou-nos a todos durante sua Vida, sua Agonia e Paixão e entregou-se por todos e cada um de nós: O Filho de Deus amou-me e entregou-se por mim. (Gl 2, 20). Amou-nos a todos com um coração humano.”² Jesus nos amou por primeiro e por essa decisão, Ele se deixou ser transpassado por nossos pecados para nos dar a salvação. Esse é o sinal concreto desse amor que é Divino e Redentor que nos escolhe todos os dias, não pelos erros, mas porque é da natureza do Seu Coração nos amar, essa é a essência de Deus.

Essa chaga, esse lado aberto do Coração de Cristo é o que nos dá vida. O lado transpassado nos traz paz, redenção e salvação. Surge uma nova vida dessa chaga aberta de Jesus crucificado e ressuscitado, dessa oferta imutável em sacrifício a nós. Ele transborda em nós através dessa abertura a água viva, uma fonte de amor e misericórdia, um novo sopro que é o Espírito Santo.

Ao nos encontrarmos com Seu lado aberto, nossa vida muda, queremos deixar de lado a vida de erros e assumir a responsabilidade de propagar o evangelho, de levar outros a acreditarem nesse Coração que tudo é capaz de transformar. É uma busca constante e diária que se concretiza no amor. Nesse Coração que devemos fincar nossas raízes, nossa vida, no fim é só entre nós e Deus.

Além do mais, esse Coração também é humano, mas Ele excede essa humanidade porque Ele também é Deus. Do Coração d’Ele existe a plenitude da forma humana e divina. E por ser humano, Ele é capaz de nos entender, compreender, de nos fazer sentir também um pouco da sua divindade.

Por fim, esse Coração Aberto é: “O coração é a casa em que estou, onde moro (segundo expressão semítica ou bíblica: aonde eu desço). Ele é nosso centro escondido, inatingível pela razão e por outra pessoa; só o Espírito de Deus pode sondá-lo e conhecê-lo. Ele é o lugar da decisão, no mais profundo de nossas tendências psíquicas. É o lugar da verdade, onde escolhemos a vida ou a morte. É o lugar do encontro, pois, à imagem de Deus, vivemos em relação; é o lugar da Aliança.”³ Esse Coração é onde escolhemos morar, onde encontramos nosso descanso e repouso, onde conhecemos a nós mesmo e conhecemos profundamente quem é Jesus e Seu Coração. É um lar, um lugar Sagrado onde o próprio Jesus nos convida a estar.

 

Por Rafaela Cassimiro, Membro da Comunidade Recado

 

Referências

1.     Catecismo da Igreja Católica § 2669

2.     Catecismo da Igreja Católica §478

3.     Catecismo da Igreja Católica § 2563

 

 

CLIQUE AQUI para descobrir porque esse texto não foi feito só para você e como ele pode chegar à sua cidade INTEIRA!