O chamado de Jesus.

O chamado de Jesus.

“Jesus subiu a montanha e chamou os que Ele quis; e foram a Ele. ” (Mc 3, 13)

Essa frase do Evangelho de São Marcos se refere ao momento em que Jesus escolhe seus Discípulos. Discípulos estes que não eram perfeitos, eram simples e pecadores e ainda tinham tudo a aprender com o Mestre. Eles não possuíam nada a “oferecer” a Jesus além de sua disposição e disponibilidade em servi-Lo e nem precisavam de mais do que isso, pois, de acordo com essas santas palavras, Jesus os escolheu porque Ele quis, simples assim. E a reação dos escolhidos foi direta, sem titubeios, eles foram a Ele.

É interessante refletirmos essas palavras. É a nós que Jesus chama nos dias de hoje. E podemos pensar “Por qual motivo? Não tenho nada a contribuir ou acrescentar à missão, não tenho os dons e as virtudes que acredito serem necessárias para tal chamado”. E Jesus responde: “Porque Eu quero”. É possível ser mais direto que isso?

Jesus te quer, Jesus nos quer na Sua missão, atuantes em seu exército! E para isso não é necessária uma grande lista de qualificações, apenas o desejo de fazer a vontade do Pai e a disponibilidade, a abertura do coração para que Ele aja em nós e por meio de nós.

No início de seu manuscrito, Santa Teresinha, padroeira das missões, fala sobre sua vocação:

“Aqui está o mistério de minha vocação, da minha vida inteira e, sobretudo, o mistério dos privilégios de Jesus sobre minha alma... Não chama os que são dignos, mas os que Ele quer ou, como diz São Paulo: “ Ele se compadece de quem Ele quer e tem misericórdia para com quem quer ter misericórdia. Portanto não é obra de quem quer ou de quem procura, mas de Deus que tem misericórdia. ” (História de uma Alma, p.28)

O chamado de Deus a uma vocação, como diz Sta. Teresinha, é uma obra Dele, e não nossa. É Ele quem escolhe ter misericórdia de nós, escolhe olhar-nos com terno e imenso amor. E por Esse Infinito Amor, anseia que ocupemos o lugar que Ele sonha para nós, para que possamos ser plenamente felizes.

E não há felicidade maior do que estar verdadeiramente entregue nos braços do Pai, consciente de estar correspondendo a esse chamado do Amor. Chamado que é particular e intransferível, portanto não hesite em embarcar nessa busca de conhecimento de si, de Deus, e de Sua vontade para você. Se lance!

 

Rayssa Miranda membro da Comunidade Recado.

 

Referências Bibliográficas

 Bíblia Sagrada – Tradução da CNBB

História de uma Alma – Santa Teresinha do Menino Jesus