O amor é a Lei

O amor é a Lei

De 2015 para cá, os meios de comunicação vem noticiando, de forma crescente, a execução de muitos cristãos, especialmente no Oriente Médio, porque abraçaram o Cristo como o Salvador que foi prometido pelos profetas.

Não podemos nos esquecer da recente morte do Padre Jacques Hamel, na França, que foi degolado enquanto celebrava a Missa.

Os caminhos de Jesus Cristo, por vezes, são bem difíceis, mas, Ele nunca prometeu que seria fácil segui-Lo. Ao contrário, por diversas vezes pediu que quem estivesse disposto a segui-Lo, deveria “tomar sua cruz” (Mateus 16, 24), “deixar seu pai sua mãe, sua casa” (Lucas 14, 26). Certo dia, disse: “As raposas tem tocas e os pássaros do céu tem ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça”.(Mateus, 8,20). Também alertou seus discípulos que nem sempre seriam bem recebidos em suas missões.

Na época de Jesus, se seguia a Lei de Moisés, que era rígida e impunha penalidades graves àqueles que a desobedecessem. Jesus não veio para abolir a Lei, apenas nos ensinou que devemos cumpri-la por amor e com amor a Deus e aos irmãos.

É preciso compreender o contexto histórico de Moisés e de Jesus. Moisés cuidava de um povo de cabeça dura, desobediente, murmurante. Adoravam a Deus apenas quando era conveniente. Isso desagradava a Deus. Foi preciso impor regras duras àquele povo.

Jesus veio traduzir a Lei com a linguagem do amor. Ele veio nos dizer que é possível obedecer a Deus sem regras rígidas impostas, apenas por amor.

Naquele tempo, a vingança e o ódio eram sinônimos de justiça. Os “pecadores”, dependendo de sua falta, eram mutilados, eram apedrejados até a morte, crucificados. Havia discriminação, intolerância, mas esses sentimentos eram totalmente aceitáveis.

No conhecido Sermão da Montanha, após falar das bem-aventuranças, Jesus continua seu ensinamento dizendo (Mateus 5, 38-39. 43-46. 48):

“Ouvistes que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente! ’ Ora, eu vos digo: Amai os vossos inimigos e orai por aqueles que vos perseguem!” (38-39)

“Ouvistes que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo! Ora, eu vos digo: Amai os vossos inimigos e orai por aqueles que vos perseguem! Assim vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus; pois ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e faz cair a chuva sobre justos e injustos. Se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os publicanos não fazem a mesma coisa?” (43-46)

“Sede, portanto, perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”.(48)

Ainda hoje, a sociedade prega a lei do olho por olho, dente por dente, única parte que Jesus quis abolir completamente. Nós, seres humanos passíveis de falha, vivemos ainda como se estivéssemos na época de Moisés: intolerantes ao erro do irmão (mas, complacentes com nossos erros), cabeças duras, vingativos.

Jesus fala de amor. Resume toda a Lei de Moisés no Amor a Deus, a si mesmo e ao próximo. É fácil amar nossos inimigos? E orar por aqueles que nos perseguem? Amar quem nos odeia?

Ele pediu para amarmos, mas não prometeu que seria fácil...

Jesus perdoou seus algozes no alto da cruz. Seríamos capazes disso?

Jesus é Deus e é Perfeito; sua essência é de amor e misericórdia. E, se Ele nos pede, é porque confia que somos capazes.

Escolhamos a Lei de Deus, vista pelos olhos de Cristo: a via do Amor!

 

Por Sara Pimentel, Membro da Comunidade Recado.

 

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.