O Advento, a oração da Igreja e as Antífonas do Ó

O Advento, a oração da Igreja e as Antífonas do Ó

No Catecismo da Igreja Católica encontramos que “a Liturgia das Horas está destinada a tornar-se a oração de todo o povo de Deus.”1

Todos nós, fiéis discípulos e discípulas do Senhor, quer sejamos ministros ordenados, quer religiosos e religiosas, quer leigos e leigas, podemos colher os frutos de santificação que brotam dessa forma de oração em “que Cristo, unido ao seu corpo, eleva ao Pai”.2

Celebrar a Liturgia das Horas, ou Ofício Divino, como também é chamada, na companhia de irmãos e irmãs na fé tem, certamente, dignidade especial, pois, como nos diz o Senhor, “onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, Eu estou no meio deles”.3 Mas, especialmente no que diz respeito aos leigos e leigas, que procuram participar da Liturgia das Horas segundo suas possibilidades4, também “é certo que a oração feita a sós [...] não deixa nunca de ser oração  de um membro da Igreja, por Cristo, no Espírito Santo”.5

Por isso, aproveitemos esse tempo de Advento, de alegre espera do Senhor, que veio, que vem e que virá, e unamo-nos como Igreja, a “consagrar, pelo louvor a Deus, todo o curso diurno e noturno do tempo.”6 Valhamos-nos até mesmo de aplicativos como Católico Orante ou I-liturgia, ou sites, como liturgiadashoras.com ou paulinas, e procuremos rezar ao menos uma das horas principais, as Laudes, a oração da manhã, ou as Vésperas, a oração da tarde, e, com salmos, hinos e cânticos inspirados, cantemos de todo o coração a Deus a nossa gratidão.7

Vejamos, por exemplo, a riqueza destas antífonas tiradas das Vésperas de cada dia da semana que antecederá o Natal do Senhor, de 17 a 23 de dezembro. São as chamadas Antífonas do Ó: a cada dia, em louvor e súplica, vamos nos aproximando do mistério do Deus-Amor encarnado...

17/12 - Ó Sabedoria, que saístes da boca do Altíssimo, e atingis até os confins de todo o universo e com força e suavidade governais o mundo inteiro: ó, vinde ensinar-nos o caminho da prudência!

18/12 - Ó Adonai, guia da casa de Israel, que aparecestes a Moisés na sarça ardente e lhe destes vossa lei sobre o Sinai: vinde salvar-nos com o braço poderoso!

19/12 - Ó Raiz de Jessé, ó estandarte, levantado em sinal para as nações! Ante vós se calarão os reis da terra, e as nações implorarão misericórdia: Vinde salvar-nos! Libertai-nos sem demora!

20/12 - Ó Chave de Davi, Cetro da casa de Israel, que abris e ninguém fecha, que fechais e ninguém abre: vinde logo e libertai o homem prisioneiro, que, nas trevas e na sombra da morte, está sentado.

21/12 - Ó Sol nascente justiceiro, resplendor da Luz eterna: Ó, vinde e iluminai os que jazem entre as trevas e, na sombra do pecado e da morte, estão sentados.

22/12 - Ó Rei das nações, Desejado dos povos; Ó Pedra angular, que os opostos unis: Ó, vinde e salvai este homem tão frágil, que um dia criastes do barro da terra!

23/12 - Ó Emanuel: Deus-conosco, nosso Rei Legislador, Esperança das nações e dos povos Salvador: Vinde enfim para salvar-nos, ó Senhor e nosso Deus!

Que o Espírito Santo nos guie! Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo!

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo!

 

Por André Zamur, Membro da Comunidade Recado.

 

 

Referências

1. Catecismo da Igreja Católica, 1174;

2. Sacrossanctum Concilium, 84;

3. Mt 18,20;

4. Sacrossanctum Concilium, 100;

5. Instrução Geral sobre a Liturgia das Horas, 9;

6. Sacrossanctum Concilium, 84;

7. Instrução Geral sobre a Liturgia das Horas, 33; cf. Col 3,16; cf. Ef 5,19-20.

 

 

 

Você acha que está faltando mais formação para os artistas católicos? Então CLIQUE AQUI e temos uma solução para te apresentar.