O Acompanhamento dos Pais na Formação Religiosa dos Filhos

O Acompanhamento dos Pais na Formação Religiosa dos Filhos

Como fazer para que a família assuma seu papel no processo educativo da fé cristã dos filhos e seja lugar de valores morais, de oração e de abertura para Deus? Eis o problema.

Sabemos que a sociedade mudou. A família, como parte viva da sociedade, também mudou, e esta mudança afeta o relacionamento dos seus membros. Deste modo, a família tem dificuldades de se encontrar como família cristã e, com isso, vai diminuindo sua capacidade de responder aos novos desafios, no que diz respeito à fé e aos anseios mais profundos do coração humano.

Quando a educação da fé é iniciada na família, é mais perceptível a sua assimilação em outros meios como a catequese paroquial, o ambiente escolar e mesmo o universo jovem social e a vida profissional. É preciso, então, que a família tenha consciência de que os filhos são a sua maior riqueza e que, educando-os, através de valores morais e cristãos, estará preservando esse bem maior e preparando pessoas para uma vida feliz e realizada.

Neste contexto social e cultural diversificado, o que fazer, então, com que a família seja, de fato, o lugar para o despertar da fé? a) os pais precisam tomar consciência de que a verdadeira catequese começa ainda no ventre materno; b) é a partir da convivência familiar que a criança forma interiormente a imagem de Deus, que posteriormente será trabalhada na catequese em vista dos sacramentos; c) a família deve compreender que, quando a criança chega à catequese paroquial, ela já precisa ter vivenciado os valores da fé, no seio familiar, como participar da Missa, por exemplo, assim como deve compreender que a Igreja é apenas uma cooperadora na continuidade da educação cristã.

É preciso, então, que, antes mesmo de receberem o matrimônio, os pais tenham consciência de que a família é um projeto de Deus, e, para que este projeto seja executado, Deus conta com a participação ativa deles. Só assim continuaremos com uma sociedade alicerçada na família, tendo-a como célula mãe e, por sua vez, tendo uma sociedade organizada e embasada nos valores humanos e cristãos.

 

Leve a Comunidade Recado para sua cidade, paróquia, comunidade ou grupo com formações humanas, artísticas ou litúrgicas!

Por: Antonio Tadeu Junior Pinto Soares, Geógrafo e Membro Compromissado da Comunidade Recado

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.