No coração da Igreja, serei o amor...

No coração da Igreja, serei o amor...

O Decreto Conciliar Ad Gentes sobre a atividade missionária da Igreja afirma: “A Igreja peregrina é, por sua natureza, missionária, visto que tem sua origem, segundo o desígnio de Deus Pai, na ‘missão’ do Filho e do Espírito Santo” (AG,6). Em nosso “DNA espiritual” de batizados, está impresso o nosso desígnio missionário, e Santa Teresinha do Menino Jesus, mesmo vivendo no Carmelo, viveu sua identidade missionária, rezando pelas vocações.

Em seus escritos autobiográficos, intitulados “História de uma alma”, Santa Teresinha afirma: “Ó Jesus, meu amor, minha vocação, encontrei-a afinal: Minha vocação, é o amor! […]”. Sim, achei meu lugar na Igreja, e esse lugar, meu Deus, fostes vós que o destes a mim. No Coração da Igreja, minha Mãe, serei o Amor. Serei tudo!" Compreendi que o Amor abrange todas as vocações, que o Amor é tudo, que abrange todos os tempos e todos os lugares. Numa palavra, que ele é Eterno!

Na sua primeira Carta aos Coríntios no capítulo 13, Paulo nos revela sua mais profunda convicção de que, de nada servem todos os dons que Deus nos dá se faltar o amor. O amor é tudo. O mesmo Deus, sendo tudo, se define como sendo Amor.  Não seremos nada se o nosso coração estiver longe, vazio desta força divina. Toda pessoa, por mais simples que possa ser no seu agir, age somente por dois motivos: ou por amor, ou por falta de amor. Não há como fugir dessa verdade.

Santa Teresinha do Menino Jesus entendeu e praticou este verdadeiro sentido do amor. Compreendeu que era necessário mergulhar no oceano infinito do amor de Deus, revestir-se desse amor para poder ser alguém útil a Deus e aos outros. Na Sagrada Escritura diz que: "Porque há maior alegria em dar do que em receber" (At 20,35) ... Esse é o sentido de nossa existência, fomos feitos por amor e para o amor, por isso somos chamados à vocação do amor.     

Há uma música de Guilherme Kerr que diz: “ame seu próximo como se fosse você, como se a dor que ele sente doesse mais em você. Santa Teresinha entendeu perfeitamente isso, tanto que ainda hoje nos ensina que, de fato, que quem ama com o amor do Evangelho, sofre muito mais do que quem está sofrendo, pois sofre por seu sofrimento e sofre porque aquele a quem ama está sofrendo.

 

Por Paulinha Nogueira, membro da Comunidade Recado.

 

Referências

 

1. https://formacao.cancao nova.com/igreja/santos/aprendendo-a-ser-missionario-com-santa-teresinha.

 

2. Livro História de uma alma.

 

3. Livro Não tenhas medo, Emmir Nogueira.