Não consta

Não consta

- Próxima da fila.

- Sou eu!

- Qual o seu nome, senhora?

- Não Consta

- Esse é seu nome?

- Não, eu não tenho nome.

- Como assim?

- Mamãe não decidiu a tempo... morreu sem me dar nome.

- Morreu no parto?

- Imagine! Mamãe era uma mulher muito saudável, ativa. Morreu com 102 anos.

- E quantos anos a senhora tem?

- 83.

- Mas... tem algum motivo para sua mãe nunca ter colocado um nome na senhora?

- Sim. Ela pediu um sinal a Deus de forma com que Ele dissesse de forma muito clara que nome ela deveria me dar. Segundos antes de morrer ela me disse que agora sim, tinha certeza que nome deveria me dar. Fiquei tão feliz! Tantos anos sendo zombada, sem documentos, sem classificação na chamada da escola, sem nem ser batizada! Enfim eu poderia ter um nome, um lindo nome, o meu nome. Poderia até mesmo realizar sonhos simples: ter um colar com minhas iniciais, ouvir pela primeira vez alguém cantar aquela música "fulano vai ter que entrar na olaria de Deus...", enfim... Mas ela falou que sabia que nome deveria me dar e morreu!

- Que pena! E Deus nunca deu um sinal à sua mãe com o nome?

- Eu dizia a ela que achava que Ele já tinha dado porque desde que estava grávida de mim me dizia que o nome "Gabriela" a encantava, mas nunca teve um sinal forte que a desse segurança, tranquilidade e ao mesmo tempo alegria de que era o nome que Ele queria. Inclusive eu pedi para usar por minha própria conta o nome Gabriela e me registrar, mas ela me convenceu que nunca fizesse isso! E se não fosse a vontade de Deus? Ela disse que eu não aguentaria carregar a minha vida inteira o peso de fazer algo que não fosse dos planos de Deus.

- Mas a senhora acha mesmo que Deus iria se importar se sua mãe lhe chamasse assim, Dona Gabriela?

- Não me chame assim! Cuidado!

- Por quê?

- Não quero que as pessoas fiquem me rotulando de "Gabriela". Vai que não é o plano de Deus para mim!?

- E a senhora vai continuar sem nome?

- Sem nome não! Em discernimento e à escuta.

- E vai ficar nessa incerteza para sempre?

- Não é incerteza. Tem algo muito bom de Deus para mim, só que deve ser bem melhor do que "Gabriela", claro. Quando eu souber, sinceramente, só não pularei de alegria porque a artrite não deixa, mas eu vou gritar!... ou melhor, não, porque "tô" com uma tosse de cachorro. Vou me ajoelhar em louvor!... é, bom... não, senão vai me atacar a coluna. Enfim, vou ficar contente.

- E quando a senhora acha que isso vai acontecer?

- É bem simples meu filho. O nome feminino que eu bater o olho e me encher de alegria, sabe? Esse vai ser meu nome. Um nome perfeito. Sem muitas vogais e nem muitas consoantes. Um nome que não gere trava-línguas nas pessoas. Um nome que as crianças não coloquem apelidos maldosos. Um nome que o diminutivo seja muito carinhoso e meigo. Um nome perfeito, sabe?

- E a senhora acha que existe um nome assim?

- Meu filho, claro que existe. Você acha que Deus me chamaria a ter um nome e não criaria nenhum que combinasse comigo?

- Pois é, né?

ENTÃO... TOMARA QUE ESSA NÃO SEJA A HISTÓRIA DA SUA VOCAÇÃO.

 

Quem sabe pode ser a história do seu chamado a fazer EFACLive. E aí? Já decidiu? [CLIQUE AQUI]

 

Por Marcos Pavel, Membro Compromissado da Comunidade Recado