Ministros de artes não servem de qualquer jeito

Ministros de artes não servem de qualquer jeito

A 59ª Cerimônia anual do Grammy Awards, o Oscar da música teve por principal vencedora a cantora inglesa Adele, que recebeu prêmio em três categorias. No evento, ela se apresentou duas vezes: abrindo a cerimônia, cantando a música “Hello” e em uma homenagem ao cantor recém-falecido, George Michael, com “Fast Love”.

No começo da homenagem, Adele, notoriamente emocionada e fora do tom em alguns momentos, pediu para começar de novo: “sinto muito por começar de novo. Podemos começar de novo? Não posso fazer de qualquer jeito”, disse a cantora, que foi aplaudida de pé após concluir a homenagem.

Mas e o que isso tem a ver com o serviço dos ministros das artes? Bom, serve-nos apenas para refletir acerca das vezes que “se faz as coisas de qualquer jeito”. Um ensaio de qualquer jeito, tocar um instrumento de qualquer jeito, sair em missão de qualquer jeito, rezar de qualquer jeito, servir de qualquer jeito, até mesmo viver de qualquer jeito.

A cantora poderia ter prestado a homenagem de qualquer jeito, mas não o fez, talvez por recordar que aquela seria a oportunidade única para fazê-la.

Deste modo, se é para fazer, faça bem feito; pare, comece de novo, e faça bem feito. Ensaiar bem, tocar bem, servir bem na missão, rezar bem e, no final, quem sabe: você não tenha vivido bem?

Lembre-se de sempre investir de modo “profissional” no seu serviço, não abra mão dos seus estudos e ensaios, motive os ministros das artes que por ventura já se deixaram contagiar pelo “espírito do qualquer jeito”; não relaxe na sua busca pelas melhores técnicas e recursos.

Por óbvio que só não podemos esquecer que a busca do fazer bem feito, não pode se sobrepor à busca de Deus e da nossa santidade. É preciso ter em mente que antes de nos lançarmos na busca do conhecimento técnico, ao mesmo tempo devemos nos lançar no conhecimento de Deus e de tudo que Ele criou para nós.

Se um ministro das artes tem pressa em tocar, cantar, interpretar ou compor bem, mais pressa deve ter para ser santo.

 

Por Liano Levy Vieira, Membro Compromissado da Comunidade Recado

 

 

Qual a forma de fazer as formações católicas chegarem ao Brasil e ao mundo? CLIQUE AQUI e temos uma solução.