Minha vida cristã é um testemunho autêntico da mensagem de salvação de Jesus Cristo?

Minha vida cristã é um testemunho autêntico da mensagem de salvação de Jesus Cristo?

Minha vida cristã é um testemunho autêntico da mensagem de salvação de Jesus Cristo?

 

A fidelidade dos batizados é condição primordial para o anúncio do Evangelho e para a missão da Igreja no mundo. Para manifestar diante dos homens sua força de verdade e de irradiação, a mensagem da salvação deve ser autenticada pelo testemunho de vida dos cristãos: “O próprio testemunho de vida cristã e as boas obras feitas em espírito sobrenatural possuem a força de atrair os homens para a fé e para Deus.”¹

Diante dessa citação, reflitamos: hoje, a minha vida como cristão é um testemunho autêntico da mensagem de salvação de Jesus Cristo?

Diariamente, somos bombardeados pelos “ismos” do atual mundo moderno: ativismo, ateísmo, relativismo, hedonismo, consumismo, individualismo e tantos outros que atacam direta e duramente a nossa missão enquanto discípulos do Senhor. E, nesse campo de batalha, precisamos estar bem firmados na tríade que constitui a base da nossa fé católica: a Sagrada Escritura, a Sagrada Tradição e o Sagrado Magistério. Conhecendo, de fato e com mais profundidade, qual é o nosso verdadeiro alicerce, espera-se que seja mais difícil sermos influenciados por tais teorias, doutrinas e tendências comportamentais.

Se não tivermos a nossa vida cristã fincada nos pilares da fé católica, em que ela estará fundamentada? Quais os ensinamentos que transmitiremos? Quais as atitudes que estaremos praticando? Que palavras, diálogos serão reproduzidos por nós? Que testemunho daremos?

Precisamos ser fortes para nadar contra essas correntes de pensamento da atualidade; determinados e perseverantes no seguimento de Jesus, no estudo, na compreensão e na defesa da fé que cremos e professamos. Só com o nosso coração imerso no Coração de Cristo poderemos testemunhar o Tesouro que tivemos a graça de encontrar, apesar de todos os caminhos escuros, confusos e tortuosos que já trilhamos até hoje. Como batizados, deixemo-nos ser renovados, conduzidos pelo Espírito da verdade a uma intimidade cada vez maior com Deus. “É pela contemplação, por uma forte relação de amizade com o Senhor, que nasce em nós a capacidade de viver e levar o amor de Deus, a sua misericórdia, a sua ternura aos outros.”²

Nesse sentido, percebemos que a necessidade de sermos fiéis e darmos um testemunho autêntico de Cristo não deve ser para nós mesmos, não deve parar em nós... Mas sim corresponder, atender ao convite do Papa Francisco de “dar forma a uma Igreja em saída, com um estilo de misericórdia, proximidade e solidariedade”³. Que a certeza da Ressurreição gere em nós, portanto, o desejo ardente de autenticar e atualizar a mensagem de salvação de Jesus em todos os lugares e para todas as pessoas. Sejamos homens e mulheres “mensageiros da alegria do Evangelho”⁴. Aproveitemos todas as oportunidades de praticar o bem, as obras de misericórdia e de “tornar visíveis as maravilhas que Deus realiza na nossa frágil humanidade”⁵.

Seja nos nossos relacionamentos familiares, profissionais, fraternos, afetivos ou na nossa vida comunitária e apostólica, tenhamos sempre em mente que cabe a nós, batizados, o desafio de tornar concreto o Evangelho de Cristo e a missão da Igreja no mundo com o nosso testemunho de vida. É através deste que muitos outros homens e mulheres serão atraídos para a fé e para Deus e com Ele terão uma experiência única e pessoal.

“Uma fé autêntica – que nunca é cômoda nem individualista – comporta sempre um profundo desejo de mudar o mundo, transmitir valores, deixar a terra um pouco melhor depois da nossa passagem por ela”⁶. Assim deve ser a nossa fé, pois é uma fé autêntica que fundamenta um testemunho de vida cristã autêntico.

Deus conta com corações disponíveis para aceitar esse desafio. E então, será que ele pode contar com o seu?

 

 

 

Referências

[1] Cat 2044

[2] Francisco, Angelus (21/07/2013).

[3] [4] [5] Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica. Anunciai. Aos consagrados e às consagradas testemunhas do Evangelho entre os povos, São Paulo: Paulinas. 2016, p.84.

[6] Francisco, Ex. Ap. Evangelii gaudium, 183.