Minha arte nasce na Palavra de Deus

Minha arte nasce na Palavra de Deus

Antes de termos um olhar sobre o relacionamento que temos entre nossa arte e a Palavra de Deus, devemos parar e refletir: O que é a Palavra de Deus para nós, cristãos? E o que a minha arte representa para mim?

Para nosso primeiro questionamento recorremos ao Catecismo da Igreja Católica, no parágrafo 108, no qual se fala que o Cristianismo é a religião da Palavra de Deus: “Todavia, a fé cristã não é uma religião do Livro. O Cristianismo é a religião da Palavra de Deus, não de uma palavra escrita e muda, mas do Verbo encarnado e vivo. Para que as Escrituras não permaneçam letra morta, é preciso que Cristo, Palavra eterna do Deus vivo, pelo Espírito Santo nos abra o espírito à compreensão das Escrituras.”.

Nesta primeira parte vemos claramente que na nossa doutrina, as Sagradas Escrituras são para nós a Palavra do Próprio Deus, que não é apenas escrita e muda, mas se faz encanada em Cristo Jesus. E que para não morrerem antes que deixemos ela chegar ao nosso coração, devemos pedir através do Espírito Santo a compreensão de Sua Palavra.

Na passagem de João 14,6-7, Jesus diz: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. Se me conheceis, também certamente conhecereis meu Pai.”.

Agora vamos fazer uma ligação sobre oque o Catecismo nos diz e o que Jesus nos diz através do Evangelista João. O Catecismo nos leva ao entendimento que o Cristianismo é a religião da Palavra de Deus, que é encarnada em Jesus, também depois Ele próprio nos diz na Bíblia que “Ele é o caminho, a verdade e a vida.” Podemos concluir nesse primeiro momento que a Palavra de Deus para nós cristãos é caminho, verdade e vida! E que Jesus mesmo nos diz no versículo 7 que se conhecemos Ele, conhecemos ao Pai. Então podemos ter mais um entendimento de que, se eu conheço as Sagradas Escrituras que é a encarnação de Cristo, conhecerei também a vontade de deus.

Para compreender o que é nossa arte, também recorremos ao Catecismo no parágrafo 2501: «Criado à imagem de Deus», o homem exprime também a verdade da sua relação com Deus Criador pela beleza das suas obras artísticas. A arte de fato é uma forma de expressão propriamente humana; acima da procura das necessidades vitais, comum a todas as criaturas vivas, ela é uma superabundância gratuita da riqueza interior do ser humano. Nascendo de um talento dado pelo Criador e do esforço do próprio homem, a arte é uma forma de sabedoria prática, que une conhecimento e perícia para dar forma à verdade de uma realidade na linguagem acessível à vista e ao ouvido. A arte inclui certa semelhança com a atividade de Deus na criação, na medida em que se inspira na verdade e no amor das criaturas. Como qualquer outra atividade humana, a arte não tem um fim absoluto em si mesma, mas é ordenada e enobrecida pelo fim último do homem.”.

Vemos que, criados a imagem e semelhança de Deus, temos esse dom de criar que vem de Deus Pai, e no interior do homem existe um mar de talentos, dons, dados por Ele e esculpidos por nossos esforços, que são colocados para fora em forma daquilo que damos o nome de arte. Que em sua essência deve estar Naquele que é o maior de todos os Artistas: Deus.

E na nossa caminhada com a arte que habita em cada um de nós, vemos que cada dia é uma nova descoberta, podendo experimentar e ver que a arte é instrumento de evangelização, tanto para o povo de Deus que Ele nos confiou, como para nós mesmos.

Agora, depois de entendermos o sentido da arte e para nós o que é a Palavra de Deus, precisamos relacionar as duas.  Como em um relacionamento entre pessoas, vamos usar três passos para isso:

  • 1º Conhecer – devo conhecer a Palavra de Deus diariamente, e a minha arte, mas devo ter o conhecimento essencial de que deve ocorrer um relacionamento entre os dois, de que a “Fé sem obras é morta, mas as obras sem Fé são vazias.”.
  • 2º Cultivar – o cultivo se dá diariamente como que quase tudo em nossa vida, preciso alimentar aquela relação, preciso crescer espiritualmente, mas também preciso que haja um crescimento técnico paralelo, para que esse relacionamento gere verdadeiros frutos do Espirito Santo. Por isso, cultive!
  • 3º Colher – depois de conhecer, cultivar, precisa se colher os bons frutos que tudo aquilo que foi bem processado nos traz, graças à união da Vontade de Deus com seu dom. Acolha os frutos, e tenha a certeza de que você artista que desde o primeiro momento entrega as almas e sua arte aos pés da cruz, receberá o dom gratuito de Deus que é sua infinita Misericórdia, a salvação das almas.

Santo Agostinho nos ensina claramente como que deve ser nosso olhar, mas principalmente a atitude de quem caminha com seu dom e a Palavra de Deus juntos: "Ore como se tudo dependesse de Deus e trabalhe como se tudo dependesse de você".

Concluímos que relacionar nossa arte com a Palavra de Deus, é fazer a Vontade de Deus através de nossa arte! É simplesmente acolher oque Deus quer realizar através de nós. As Sagradas Escrituras são a fonte da Água Viva de que o povo tem sede, beba dessa fonte eterna diariamente, para que através de sua arte você seja o braço de Cristo que se estende ao povo, e tenha dessa agua para saciar a sede das almas.

 

Por Alan Oliveira, Membro da Comunidade Recado.

 

 

 

Quer fazer a evangelização acontecer no seu ministério? Então CLIQUE AQUI. Quer saber como ela pode chegar o mundo inteiro?! CLIQUE AQUI