Minha alma glorifica ao Senhor

Minha alma glorifica ao Senhor

“Minha alma glorifica ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador.” ¹

 

Maria vive o louvor interior, discreto, sereno e puro. Glorifica com sua alma, uma oração profunda que conquista o coração de Deus. Quanto mais ela louvava a Deus, mais o coração dela enchia-se de gratidão. Quanto mais íntima ela se tornava, mais ela bebia dessa fonte inesgotável que encontrava no coração d’Ele. Era um louvor que não se acabava, era incessante, uma gratidão constante e que não tem fim.

O Magnificat, ou o canto de Maria, exclamado em alta voz, diante de sua prima Isabel, expressava intensamente a sua gratidão, sempre voltado Àquele que a criou. Maria reconhecia quem Deus era na sua vida. Maria não louvava porque amava a Deus. Ela louvava porque Deus a ama.

Ela exulta porque reconhece o Senhorio de Deus na sua vida, reconhece que Ele tudo pode, e que por amor olhou para ela e para sua pequenez, exulta em saber que, diante de Deus, ela era o nada e Ele é o tudo. Seu louvor é ainda mais penetrante porque em seu nada ela se abandonava nos braços do Criador, em tudo ela dependia d’Ele como uma criancinha que se lança nos braços de seu pai e sua força era manifestada através da grandeza de Deus.

O louva ainda mais porque, pela graça de Deus, ela conquistou a salvação eterna, e além do mais, carregava em seu ventre a salvação de toda humanidade. Maria era agraciada, cheia da graça, da graça do louvor, sua história de vida agradava a Deus.

Maria o engrandece por seu amor tão forte, tão grande e tão profundo que Ele nutria por ela. Foi por esse amor que Ele a escolheu, foi por Amor que a criou e permitiu ser concebida sem pecado original. Seu amor de Pai deu a essa menina a graça de ser salva e a grande missão de ser mãe de toda a humanidade.

Portanto, ela nos ensina que o verdadeiro Louvor é aquele que emana de nossa alma e é o que mais agrada o coração de Deus. Nesse momento elevemos a nossa voz em grande júbilo de gratidão por esse Deus que nos ama de maneira única, gratuita e incondicional. Confiemos nesse grande e infinito amor.

Aprendamos com ela, que é a maestrina do louvor, assim como diz na RVR, parágrafo 160: “Ela, que engrandece continuamente o nome do Senhor, que foi e é Mestra e Maestrina do amor por excelência, quer ensinar a todos os seus filhos a também exaltá-lo continuamente e com alegria.”² Que possamos pedir a intercessão dela para que ela nos ensine com humildade a viver o louvor discreto, sereno e puro.

 

Por Rafaela Cassimiro membro da Comunidade Recado.

 

Referências

  1. Bíblia Ave Maria, Lucas 1,46.
  2. Regras de Vida Recado.