Louvor X Fama

Louvor X Fama

"Com que intenção você tem composto sua música?" É esse o questionamento que Luiz Carvalho vem nos fazer no livro "A Arte de Louvar".

 

Uma palavra aos músicos...

O canto, a música na nossa vida, e falo agora para os que são cantores e músicos, devem colocar Deus no centro! Sempre! A “intenção” primeira do nosso canto e do nosso tocar deve ser colocar Deus no centro da nossa vida, da nossa música, do nosso louvor! A intenção não pode ser o sucesso, vender muito, ser aclamado nos palcos, porém, deve ser tudo fazer para a glória do nome de Deus. Não devemos usar a música para a nossa própria glória, ou para termos o reconhecimento dos homens, ou para sermos ricos. Não! A música existe para glorificar a Deus e para colocá-lo como Senhor absoluto de nossas vidas! Diz o Salmo 148, 13: “Louvem todos o nome do Senhor, porque só o seu nome é excelso. Sua majestade transcende a terra e o céu, e conferiu a seu povo um grande poder. Louvem-no todos os seus fiéis, filhos de Israel, povo a Ele mais chegado”.

Faço-lhe uma pergunta: com que intenção você tem composto sua música? Com intenção de louvar a Deus, de torná-lo amado e conhecido? Ou com a intenção de vender CDs? Seus acordes são para a glorificação do Senhor ou são meios apenas para tocar sentimentalmente o coração das pessoas e assim ser bem sucedido, ser conhecido? A sua música tem como inspiração o próprio Deus, a sua Santa Palavra ou você mesmo? Pense nisso! Queridos, devemos considerar “que Deus é a harmonia plena. Nele não há dissonância. Nós fazemos parte do grande concerto universal, conduzido pelo Divino Regente.

Frequentemente, porém, desafinamos, cometendo falhas inerentes à nossa imperfeição. Isso, naturalmente, contradiz o que Deus pede de nós, como imagens suas, cuja história deve reprisar a beleza e a harmonia divinas. Ele é o acorde cheio, perfeito, do qual os grandes músicos conseguem haurir a inspiração, traduzindo em suas composições algo da Perfeição Infinita. A música sacra tem o dom de nos aproximar mais intimamente de Deus, pois coloca a inspiração, recebida dEle, em função do louvor de sua glória. No Céu vamos saborear muita música: mais sublime, mais extraordinária do que qualquer uma que conhecemos, divinal... Será uma das expressões da nossa felicidade plena, na comunhão eterna com Deus”.1

É essa a vontade de Deus para você, músico: que sua música seja o reflexo da perfeição e do amor divinos! Que os acordes que você toca sejam para glorificar a Deus! Que a música que você compõe seja expressão da felicidade que é a comunhão com Deus! Música não é para vender, para o status ou para o sucesso! Música cristã é para revelar ao homem o quanto Ele é amado por Deus! Música é para a salvação, não é para o fechamento em si, para a sensualidade, para a banalização. Não! Música cristã, sacra, religiosa, católica é para gerar experiência com Deus. “Quanto chorei ouvindo vossos hinos, vossos cânticos, os acentos suaves que ecoavam em vossa Igreja! Que emoção me causavam! Fluíam em meu ouvido, destilando a verdade em meu coração. Um grande elã de piedade me elevava, e as lágrimas corriam-me pela face, mas me faziam bem”(Santo Agostinho).

 

1. Cf. publicação acessada em21 de junto, às 9:30, no endereço: http://www.zenit.org/pt/articles/musica-eum-poderoso-meio-de-apostolado-afirma-cardeal

 

Fonte: TOZADORE, H.; CARVALHO, L. A Arte de Louvar. 2016.

 

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.