Evento extraordinário: O Dia do Grande Perdão!

Evento extraordinário: O Dia do Grande Perdão!

“Ele salvará seu povo” (Mt 1, 21)

Como é perfeita e bela a santa providência de Deus que tudo dispõe com sabedoria e exatidão!

Estamos vivendo uma Semana Santa diferente, você já percebeu? Há um clima especial! Parece que tudo se concorda e fala da mesma verdade: Jesus está salvando! A Misericórdia divina está alcançando!

A Semana Santa, chamada pelos antigos de Semana Maior, traz naturalmente um peso de graça e beleza, mas nesse “Ano da Misericórdia” parece exceder como de fato é o amor misericordioso – aquele que vai muito além do que podemos imaginar!

A Santíssima Providência preparou o Domingo de Ramos, que abre a Semana Santa, com a Solenidade de São José, no sábado atecedente (19), onde o Evangelho anuncia Jesus Salvador pelo Anjo, quando fala em sonho a José: “Ela [Maria] dará à luz um filho e tu lhe porás o nome de Jesus, pois ‘ele salvará seu povo’ de seus pecados” (Mt 1, 21). Que belo ouvir da boca do santo Anjo que a missão pessoal de Jesus era de ‘salvar seu povo’, assim como seu próprio nome o revela: Jesus (Yeshua, do hebraico, que significa “Deus salva”).

No Domingo de Ramos vemos Jesus se dirigindo à Jerusalém para enfim consumar a salvação de seu povo e quando o recebem, aclamam: “Hosana”, que significa “Eia! Salva-nos!”.

Na segunda-feira, Maria de Betânia lava os pés de Jesus com perfume caríssimo, ungindo-O com bálsamo em vista do dia de Seu sepultamento.

Na terça-feira, no Evangelho segundo Mateus, Jesus revela que um dos doze será seu traidor e nos vem o questionamento: “Senhor, por acaso serei eu?” Sabendo de nossas fraquezas, desconfiamos de nós mesmos e percebemos que somos tão responsáveis pelo sofrimento e morte do Senhor, quanto Judas Iscariotes.

Na quarta-feira, pela Missa Crismal, enxergamos a luz da missão pessoal de Jesus que se entrega como puro e perfumado azeite, que para se derramar sobre as feridas da humanidade, precisa antes passar pelo Getsêmani (nome da máquina que prensa as azeitonas), para assim dar o azeite que cura nossos pecados. Esse óleo crismal é o mesmo que depois revestirá tantos cristãos de força e os fará semelhantes a Cristo, Luz do mundo, e participantes de sua missão salvífica: “O espírito do Senhor repousa sobre mim, porque o Senhor consagrou-me pela unção; enviou-me a levar a boa nova” (Is 61, 1).

Enfim, nessa quinta-feira Santa, o Senhor concretamente se abaixa para lavar a sujeira dos nossos pecados, para lavar-nos desde as nossas raízes mais profundas, por isso lava os pés, pois quer lavar nosso passado, nossa história, enfim, quer banhar-nos por inteiro e o faz instituindo a Eucaristia – antecipação e perpetuação do Seu Sacrifício de amor, onde realmente o Senhor nos perdoa e nos purifica de todos os pecados e da morte!

E não poderia deixar de comentar o grande evento da sexta-feira Santa da Paixão do Senhor, onde nós paramos para adorar o Senhor crucificado e contemplar o quanto Deus nos ama e é capaz de tudo para que sejamos verdadeiramente felizes! Nesse Ano Santo, a Misericórdia de Deus preparou-nos algo extraordinário que acontece raramente: a data da Encarnação do Filho de Deus (25 de março) coincidirá, excepcionalmente, com a data da Sua Paixão e Morte (Sexta-Feira Santa), ou seja, o Mistério da vida e o Mistério da morte se unem, fundindo o início e a consumação da nossa redenção! Ao mesmo tempo, celebramos o Mistério do Deus que é gerado no ventre da Virgem Maria como criança e a Sua morte na Cruz para redenção dos nossos pecados. Isso reforça ainda mais o caráter da Sexta-Feira Santa como o Grande Dia do Perdão.

Aproximemo-nos confiadamente desse Deus misericordioso e mergulhemos no Seu Mistério de amor que nos amou até o extremo da Cruz!

Acompanhe nos próximos dias mais meditações sobre o Tríduo Pascal!

 

Por Felipe Zanotto Reigota, Membro da Comunidade Recado.

CLIQUE AQUI para descobrir porque esse texto não foi feito só para você e como ele pode chegar à sua cidade INTEIRA!