Espiritualidade: Pra que eu rezo?

Espiritualidade: Pra que eu rezo?

Santa Terezinha em sua sabedoria sempre dizia: “Para mim a oração é um impulso do coração, um simples olhar para o Céu, um grito de gratidão e amor no meio da provação como no meio da alegria”.¹ Ou seja, a nossa oração diária deve ser algo impulsionado no mais profundo do coração, é um desejo, uma escolha, o sentimento de querer ter um diálogo com Deus. É também um simples olhar dirigido para o Céu, onde Ele está sentado em seu trono, Ele que tudo vê, a oração sincera aproxima o Céu dentro nós. De fato, é um grito de gratidão, onde nossos corações são impulsionados a louvar a Deus mesmo nas provações e nas alegrias. Não rezamos porque amamos a Deus, rezamos porque Ele nos ama.

Quando rezamos, além de nos assemelharmos a Cristo, que é orante por excelência, e nos aproximamos de Deus que é amor, conquistamos também as graças que vem das mãos do Pai. A vida dos santos nos revelam que as graças de Deus estão à disposição daqueles que rezam. Lembremos sempre de que Deus não precisa das nossas orações, somos nós que necessitamos da sua graça, que se manifesta em nós quando rezamos.


É de suma importância sempre rezar, é fundamental para vivermos uma vida plena e um dia chegar à vida eterna. Quem reza está em sintonia com Deus, cria um laço, uma intimidade, essa é a maior graça que podemos desejar. Quanto mais rezamos, mais íntimo seremos do Pai. Quanto mais rezamos, cada vez mais o nosso coração terá vontade de rezar. E quando mais rezamos, cada vez mais seremos transfigurados, e nos tornaremos, aos poucos, semelhantes Àquele que nos criou e nos ama profundamente.


No Evangelho de São Mateus, Jesus nos convida a rezar e a nos abandonarmos em seu imenso Coração. A palavra diz: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.”² O Senhor hoje te faz um convite, te chama a rezar e a descansar no coração d’Ele.


Mas, em algum momento da caminhada, paramos pra nos perguntar: “pra que eu rezo? para que nós rezamos?”. Se ainda não nos questionamos, ainda dá tempo. Devemos tomar muito cuidado, às vezes, nós rezamos pra alcançar uma graça em troca de uma promessa, ou rezamos só pelos outros e esquecemos de nós, e muitas vezes rezamos pra que Deus faça a nossa vontade e não a d’Ele. É claro que somos humanos, mas devemos pedir a Deus a graça da sabedoria e do discernimento, na luz do Espírito Santo, para sabermos para que rezar, ou para que situação orar. Confiemos porque Deus derramará sobre nós essa graça.


Portanto, devemos rezar para que Deus nos converta, para ser santo, para amar a Deus sobre todas as coisas, sobretudo, são esses os motivos principais que devem impulsionar nossas orações. Sigamos o exemplo de Santa Terezinha, que só se tornou santa porque rezava para ser santa. Ela em sua pequenez e sabedoria rezava a Deus da seguinte forma: “Deus não poderia me inspirar desejos irrealizáveis, portanto, posso, apesar da minha pequenez, aspirar à santidade”.³

 

Por Rafaela Cassimiro membro da Comunidade Recado.

 

Referência Bibliográfica

1. https://formacao.cancaonova.com/diversos/santa-teresinha/
2. Mateus 11, 28.
3. https://formacao.cancaonova.com/diversos/santa-teresinha/