E quando a Arte não vem?

E quando a Arte não vem?

"De vez em quando Deus me tira a poesia. Olho pedra, vejo pedra mesmo." (Adélia Prado)

 

E quando a Arte não vem? Quando, mesmo com o joelho roxo, rezando três rosários por dia e com cinco horas diárias de oração pessoal, não vem sequer uma gota da letra da música, ou do texto da peça, ou um passo da coreografia? E quando o acorde continua adormecido? E quando a tela insiste em ficar branca? Questionamentos que vez ou outra rondam a vida daqueles que se propõem a comunicar a Beleza através de seus dons artísticos.

 

Artista católico, não esqueça que uma das muitas maneiras que Deus se utiliza para comunicar-se conosco é através do seu Silêncio. Silêncio que forma e que santifica! Experiência vivida por muitos santos da Igreja, como São João da Cruz. Um tempo fértil e frutuoso, embora pareça tão árido. Aproveite esse tempo de "escassez" para estar ainda mais íntimo de Deus, intensificando a execução dos seus compromissos espirituais. Afinal, Ele não está distante. Mas próximo, muito próximo (dentro de nós, como nos escreve Santo Agostinho)! Contemple este momento da sua vida como se estivesse contemplando uma tela, ou uma dança, ou uma peça, ou uma música, pois o Silêncio de Deus também é Arte! 

 

"Ó noite que me guiastes,

Ó noite mais amável que a aurora!

Ó noite que reuniste

O Amado com a amada

A amada no Amado transformada!" (São João da Cruz).

 

 

Por Alexandre Reis, Membro da Comunidade Recado.