Diego Hypólito - Combati o bom combate, guardei a fé

Diego Hypólito - Combati o bom combate, guardei a fé

⁠⁠⁠Estamos vivendo momentos históricos com as olimpíadas, não apenas pelo fato de que os jogos estão acontecendo em terras brasileiras, isso por si só já é um grande motivo de honra. No entanto, o dia 14 de Setembro de 2016, vai ficar marcado na história de nosso país e para todos os atletas olímpicos.

O clima era de tensão, o estádio estava quase que em silêncio, pois Diego Hypólito se preparava para apresentar-se no tablado. Depois de duas quedas nas olimpíadas anteriores, passou por uma grande provação. Um atleta dedicado, com a irmã campeã, cobrava-se ainda mais por conta dessas falhas. Começou então a ser desestimulado por várias pessoas, sofrendo a pressão da mídia, assim como dos parceiros de trabalho. Atravessou então o vale da depressão, questionou se realmente continuaria a seguir a carreira como ginasta.

Por agora faço um questionamento: o que a sua voz tem sido para as pessoas que estão ao seu redor? Você tem incentivado para que continuem seguindo seus sonhos ou tem sido pedra de tropeço para eles? As suas palavras são de louvor, sobre seus irmãos e sobre sua própria vida?

Muitos poderiam ter desistido de vez, existiam variáveis que contavam para que ele desistisse, uma delas era a idade e pelas quedas que teve quando era o favorito. Os motivos para se recompor e voltar a acreditar eram retirados, mas como é brasileiro e aprendemos a nunca desistir, persistiu. Diego procurou ajuda profissional, dos amigos, familiares e acima de tudo recebeu auxílio de Deus. Acreditando que Ele nunca nos deixa passar por provações maiores que possamos suportar. Voltou então a treinar constantemente, a lutar para ser o melhor que pudesse. Faltando um mês e meio para o início das olimpíadas seu treinador foi afastado do cargo. O atleta sabe a importância de um treinador, e este seria mais um motivo para desistir não é mesmo? "Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão" - Isaias 40, 31.

Renovando suas forças, começou a treinar com Marcos Goto que é o mesmo treinador de Arthur Zanetti. O que vimos ontem não foi apenas o fruto devido um grande esforço, o incentivo de uma nação, vimos o agir da centelha, que o Criador colocou em cada uma de suas obras. Dando-lhes a capacidade de sempre se superar, de se reinventar. A medalha não é apenas para a execução perfeita, sem quedas dessa vez e com saltos no ar e aterrissagens cravadas, mas por todo este tempo de provação. Cumpriu-se a palavra de 2 Timóteo 4, 7-8: "Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda". Fomos presenteados também com a dobradinha para o Brasil, pois ao seu lado estava Arthur Mariano, que também subiu ao podium.

Diego Hypólito: “Isso mostra para qualquer pessoa que, se você acreditar nos seus sonhos, é possível alcançá-los. Eu tive uma Olimpíada em que caí de bunda. Outra em que, literalmente, eu caí de cara. E na terceira Olimpíada, eu caí de pé.

Este exemplo de superação deve nos questionar: como tenho levado minha vida de intimidade com Deus? A oração precisa da mesma constância que o atleta tem com seus treinos. O que tenho sido e quais palavras saem da minha boca? Tenho vivido o louvor que exalta Deus no coração do homem? Tenho ajudado a construir sonhos ou a destruí-los? Tenho persistido naquilo que acredito, na vocação que recebi como graça ou tenho desistido nas primeiras adversidades?

Que o Espírito Santo, educador das almas, nos leve a questionar essas e outras estruturas que temos carregado e que Ele não nos permita ser menos do que fomos preparados pelo Divino Artesão para ser.

 

Por Luis Carlos César, Membro da Comunidade Recado.

 

CLIQUE AQUI para descobrir porque esse texto não foi feito só para você e como ele pode chegar à sua cidade INTEIRA!