Deus tem sido misericordioso com você?

Deus tem sido misericordioso com você?

A cada manhã, as misericórdias se renovam! (Lm 3, 22-23)

Sim, queridos! Temos a Graça de sermos amados e perdoados todos os dias por um Grande Pai do Céu que não nos condena, mas nos quer sempre com Ele.

E nós? Nossas misericórdias para com os outros se renovam a cada dia, cada amanhecer?

Neste ano, graças a Deus, teremos a chance de ouvir, refletir e analisar sobre o Ano da Misericórdia, que teve início no último dia 8 de dezembro.

Vamos aprender lições valiosíssimas sobre a misericórdia de Deus conosco ao longo da história e em nossos dias.

Mas, como tudo que é benefício, que é dom, que é Sagrado, deve ter uma “via de mão-dupla”: a misericórdia que nos vem de Deus deve ser, obrigatoriamente, dirigida também ao irmão. E é justamente nessa via que nós nos perdemos.

São atitudes simples do dia a dia, que não exigem nada de nós, a não ser o esforço cristão. Precisamos compreender o amor de Deus por nós e pelos outros. Precisamos deixar de olhar para nós mesmos e enxergar o que Deus tem reservado para cada um de Seus filhos. Quando deixamos de olhar para nós mesmos, descortinamos os tecidos para ver as obras de Deus.

Assim escreveu Santa Teresa D’Ávila em seu livro Castelo Interior ou Moradas:

“Quem se escandalizar de saber que Deus faz grandes graças, já neste exílio, tenho por certo que está muito desprovido de humildade e amor do próximo. A não ser assim, como não se alegrar em que Sua Majestade (Deus) dê a entender suas grandezas, seja a quem for, e faça tais favores a um irmão nosso? Isso não impede que o faça também a nós”.

Nosso espelho, aquele em que nos vemos e através do qual vemos o irmão, é distorcido. Colocamos muita bondade, muita maldade... Deus é Aquele que vê claramente todas as coisas e, apesar de nossas faltas, nos agracia já nesta vida, “já neste exílio”. Se nós nos sentimos extremamente amados por Deus com essa gratuidade, por que negá-la aos irmãos?

Muitas vezes nesta vida, somos, ao mesmo tempo, advogados, jurados e juízes da vida do irmão. E como nosso coração deseja também aplicar a pena de morte! O único Juiz, a quem cabem todas as decisões, é Deus. Se escolhermos ser advogados, que seja para interceder junto a Deus em favor dos nossos irmãos esmagados pela ação do pecado. Só isso.

E a medida dessa misericórdia é tão simples quanto a receita de soro caseiro (aquela que salva vidas): a medida da misericórdia de Deus comigo deve ser a mesma que devo usar no relacionamento com meu irmão. Simples assim!

Responda: como tem sido a porção de misericórdia de Deus comigo? Tenho recebido muito amor apesar de minhas infidelidades? Reconheça as bondades do Senhor na sua vida: família, relacionamentos, emprego/estudo, saúde...

Transfira essa pergunta ao irmão: como tem sido a minha porção de misericórdia para o meu irmão? Tenho dado muito amor, perdão, compreensão, apesar dos erros do meu irmão? Reconheça, também, as bondades do Senhor na vida desse irmão!

Deus é bom para todos! Lembremos que as pessoas que Jesus mais atraiu em Sua caminhada terrena foram aquelas excluídas pela sociedade, pois eram cobradores de impostos, prostitutas, leprosos, pecadores. Pecadores como eu, como você... Mas, Ele nos ama e nos quer Consigo. Não há outra prova maior de suas misericórdias que se renovam, desde sempre e para sempre, a cada manhã.

 

Por Sara Cardoso Pimentel Machado, Membro da Comunidade Recado.

CLIQUE AQUI para descobrir porque esse texto não foi feito só para você e como ele pode chegar à sua cidade INTEIRA!