Descubra qual o lugar da técnica em seu Ministério de Dança

Descubra qual o lugar da técnica em seu Ministério de Dança

Sabemos que a técnica é uma importante ferramenta no Ministério de Dança, não só pela preparação do corpo, mas, sobretudo, para aprimorar o dançar e dar a Deus o melhor. Todavia, é preciso o equilíbrio e a medida certa para que a técnica não se sobreponha à unção, à ação do Espírito Santo e à ação evangelizadora. Sendo assim, qual o lugar da técnica no Ministério de Dança?

A técnica está a serviço, ela assume o lugar de um importante instrumento, mas não deve jamais ocupar o lugar de Deus no Ministério de Dança! Martha Graham nos fala que “a técnica é o que permite ao corpo chegar a sua plena expressividade”, logo, a técnica está à serviço do corpo que dança e não o contrário. Ela permite aprimorar os movimentos, amplia a capacidade de criação dos ministros e prepara o corpo para a execução dos movimentos. Contudo, a preocupação excessiva com a técnica para aprimorar o desempenho dos movimentos, o alongamento do corpo, a flexibilidade leva a regressão da capacidade expressiva do ser e, consequentemente, à perda da sua especificidade, bem como sua intimidade com o Sagrado expresso em sua arte.

O Ministério de Dança tem uma dinâmica específica que compreende os momentos de ensaios, de aulas técnicas, os momentos de oração e espiritualidade. Assim, a técnica é parte do ministério e não o todo. O ministério de dança não pode estar em função da técnica e muito menos viver unicamente pela técnica. Segundo Vaz (2001, p.92): [...] os seres humanos inclinam-se a considerar a técnica como sendo algo em si mesmo, um fim em si mesmo, uma força própria, esquecendo que ela é uma extensão do homem...”

Quando valorizamos demais a técnica, acabamos alimentando o ego e as nossas vaidades de artista. Quem, amando a dança, nunca sonhou em ter pernas altas, em ter uma flexibilidade excepcional, capaz de arrancar aplausos do público no palco? Quem nunca desejou ser aquele Ministro de Dança muito alongado que consegue fazer com seu corpo coisas e passos desenvolvidos pelos melhores bailarinos do mundo? Como artistas, temos sonhos e aspirações em relação à nossa arte e isso não é ruim, mas precisamos ter muito claro dentro de nós que dança é essa que buscamos enquanto ministros de dança e, acima de tudo, o que o Senhor de nosso dom nos chama a viver. O que vale mais para Deus: a capacidade técnica de seu corpo ou a disponibilidade desse corpo em se deixar conduzir pelo Espírito Santo? Deus se utiliza te toda a nossa potencialidade, Ele mesmo nos criou e no presenteou com esse dons e habilidades, mas nada disso é mais importante que a missão que Ele mesmo nos confia, de sermos testemunho de Seu amor aos homens, de salvar almas.

É preciso ter o equilíbrio e a maturidade para saber que a técnica assim como a espiritualidade são importantes e que o principal é dar a Deus o lugar que é Dele em nossa vida e em nosso ministério. Se utilize da técnica como um instrumento para dar o seu melhor para Deus, mas nunca perca de vista que, mais do que passos executados em perfeita harmonia e técnica, o Senhor deseja servos abandonados e disponíveis àquilo que Ele desejar fazer em nós e por meio de nós.

 

Por, Laianne Viana, Membro da Comunidade Recado

 

 

Referências

VAZ, A. Técnica, Esporte, Rendimento. Movimento, Porto Alegre, v. 7, n.14, p.87-99, 2001.

VIANNA, K. A Dança. 2. ed. São Paulo: Siciliano, 1990.

GARAUDY, R. Dançar a Vida. 7. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

 

 

 

 

Qual a forma de fazer as formações católicas chegarem ao Brasil e ao mundo? CLIQUE AQUI e temos uma solução.