Continue a pedalar!

Continue a pedalar!

"E, aquele 

Que não morou nunca em seus próprios abismos

Nem andou em promiscuidade com os seus fantasmas

Não foi marcado. Não será exposto

Às fraquezas, ao desalento, ao amor, ao poema." (Manoel de Barros)

 

O sofrimento é algo inerente à humanidade. Sofremos porque somos limitados. E que bom que somos limitados! Sim, bom! Nossas limitações são uma grande graça, pois elas nos proporcionam o encontro com Aquele que é ilimitado! 

E não saia por aí dizendo que Deus nos dá o sofrimento! Não! Ele, sendo Amor, só nos oferece Amor. Ele apenas permite que o sofrimento chegue em nossas vidas porque sabe que é uma excelente oportunidade de nos formar, de nos educar. Como o pai que acompanha o filho em suas primeiras pedaladas na bicicleta sem rodinhas. O pai permite a queda porque sabe que, após algumas quedas, a criança estará pedalando com total equilíbrio. O equilíbrio nasce das quedas!  

Algo muito semelhante ao aprendizado da bicicleta ocorre com a arte. As quedas, os sofrimentos, as cruzes que aparecem na vida são excelentes oportunidades para o nascimento da arte. Inúmeras letras, melodias, peças e telas foram compostas por artistas que estavam mergulhados em seus abismos! Tantos poemas foram escritos por pessoas que estavam lutando com os seus "fantasmas"! Tantos Santos da nossa Igreja transformaram suas dores em Graça! E, claro, sempre com o auxílio do Pai que está a postos para levantar a criança que caiu! 

E você, artista católico? Tem pedalado muito? O que tem feito das suas quedas? Tem ficado no chão chorando ou tem buscado o auxílio dAquele que vai te ensinar a ter equilíbrio, Aquele que vai te ensinar a transformar dor em Arte? Ele está bem aí, ao seu lado!

 

Por Alexandre Reis, Membro da Comunidade Recado

 

 

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.