Como ser um artista ungido

Como ser um artista ungido

Segundo texto da série "Unção"

 

Em nosso primeiro texto da série "Unção", aprendemos com Santo Irineu que “O Espírito Santo é a unção” e que para que a nossa arte seja ungida, precisamos nos deixar conduzir pelo Espírito e, no texto de hoje, vamos aprofundar isso, mas vamos tomar Jesus como modelo de homem conduzido pelo Espírito Santo e como o canal de Deus para que o Espírito Santo venha em nosso auxílio.

No Evangelho de Lucas percebemos a ação livre do Espírito Santo na vida de Jesus: “Cheio do Espírito Santo, voltou Jesus do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto.” (Lc 4, 1). “Jesus então, cheio da força do Espírito, voltou para a Galileia. E a sua fama divulgou-se por toda a região.” (Lc 4, 14). “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu; e enviou-me para anunciar a boa nova aos pobres, para sarar os contritos de coração, para anunciar aos cativos a redenção, aos cegos a restauração da vista, para pôr em liberdade os cativos, para publicar o ano da graça do Senhor.” (Lc 4, 18-22). Nestes breves versículos percebemos como Jesus se deixava conduzir pelo Espírito Santo e como a unção do Espírito Santo agia através Dele realizando grandes sinais.

“Para perceber a importância desse simbolismo da unção com óleo, há que retornar com a unção primeira realizada pelo Espírito Santo: a de Jesus…” (Cat § 695). É olhando para vida de Cristo que entendemos como é que temos unção!

“Cristo (‘Messias’ a partir do Hebraico) significa ‘Ungido do Espírito de Deus. Jesus é constituído ‘Cristo’ pelo Espírito Santo […], é Ele que plenifica o Cristo, é o poder dele que sai de Cristo em seus atos de cura e salvação.” (Lc 6, 19 e Lc 8, 43-46)

Diz ainda o Catecismo no §695: “Jesus é o Ungido de Deus de uma forma única: a humanidade que o filho assume é totalmente ‘ungida do Espírito Santo’.” Se é pelo Santo Espírito que Jesus realizava suas obras, é obvio que a nossa humanidade sem a unção do Espírito Santo não é capaz de nada!

Jesus é pleno do Espírito e o Espírito age Nele: “Ora, esta plenitude do Espírito não devia ser apenas a do Messias; devia ser comunicada a todo povo messiânico” (Cat. § 1287). Como Cristãos, membros do Corpo de Cristo, assumimos a missão de Jesus, afirma ainda o Catecismo da Igreja: “A missão conjunta (de Cristo e do Espírito) então se desdobrará nos filhos adotados pelo Pai no Corpo de seu Filho…” (Cat. § 690). Sendo assim, precisamos crer que, assim como age em Jesus, o Espírito agirá também em nós que somos o Corpo de Cristo, ungidos com a unção que é própria Dele e que nos capacita a realizar tantos prodígios, quanto Ele realizou: “[...] aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas” (Jo 14, 12).

Convencidos de que Jesus nos dá o Seu Espírito e a Sua unção, podemos colocar em prática esta graça que nos foi conferida e realizar grandes sinais através das nossas ministrações artísticas na vida dos irmãos, sustentando assim o louvor do povo de Deus e dando continuidade a missão de Jesus em nossa própria vida.

Conforme afirma São João em sua Primeira Carta, “Vós, porém, tendes recebido a unção que vem do Santo…” (I Jo 2, 20), quero vos propor uma reflexão: O que você tem feito com a unção que Jesus te conferiu? Você acredita nesse ‘poder’ do alto? Essa unção que está em você pelo Espírito tem tido efeito sobre a vida das pessoas que experimentam sua arte?

 

Por Felipe Zanotto Reigota, Membro da Comunidade Recado.

 

 

Já leu o primeiro texto da Série Unção? Não? Então CLIQUE AQUI!

 

Você acha que está faltando mais formação para os artistas católicos? Então CLIQUE AQUI e temos uma solução para te apresentar.