Como ser um artista ungido

Como ser um artista ungido

Primeiro texto da série "Unção"

 

Hoje iniciamos uma série de estudos sobre a unção! Afinal, o que é ter unção?

Em nosso meio artístico cristão é muito normal se ouvir a palavra unção! Mas muitas vezes falamos e não sabemos explicar realmente o que isso significa! Por que existem ministros de artes ungidos e não ungidos? Quais são as qualificações de um artista ungido? O que faz uma música, uma dança ou um teatro serem ungidos? Toda arte é ungida?

Se olharmos a etimologia da palavra unção, teremos: a unção é o ato de ungir, por sua vez, ungir significa untar com óleo.

Se olharmos para a história, veremos que o óleo era usado desde a antiguidade e que, além das inúmeras utilidades, sempre trouxe consigo simbologias e significados. Há mais de 6 mil anos o azeite já era usado como protetor do frio pelos povos da Mesopotâmia. Os gregos e os romanos sem dúvida descobriram várias aplicações do azeite, com suas múltiplas utilizações na culinária, como medicamento, unguento ou bálsamo, perfume, combustível para iluminação, lubrificante de alfaias e impermeabilizante de tecidos. Já pelos judeus era usado em caráter religioso, o azeite era unido aos sacrifícios ofertados a Deus, era usado para cicatrizar feridas, para purificar os leprosos, como perfume em dias festivos e para consagrar pessoas e objetos a Deus.

Entre as simbologias e significados, o óleo era considerado pelos povos antigos como sinal de sabedoria, paz, abundância e glória para os povos. Pelos judeus, nossos pais na fé, era tido como sinal da presença de Deus (Ex 30, 22-32) e esse significado já começa a responder a nossa questão, ter unção é ter a ‘presença de Deus’. Assim nós encontramos na passagem bíblica de I Sm 16, 13, quando Davi é ungido rei de Israel: “Samuel tomou o corno de óleo e ungiu-o no meio dos seus irmãos. E, a partir daquele momento, o Espírito do Senhor apoderou-se de Davi”. No cristianismo o azeite ou óleo significa a presença do Espírito Santo. No Cat. §1293 encontramos diversos significados do óleo, como: abundância, alegria, purificação, agilidade, cura, saúde, força e beleza.

Santo Irineu diz: “O Espírito Santo é a unção” (Cat. § 438 e 690). Nós, cristãos, acreditamos que em nosso Batismo recebemos o Espírito de Deus, e segundo Santo Irineu, o Espírito Santo é a unção, ou seja, se temos o Espírito, temos a unção, ela é nossa! Vejamos bem que o Espírito Santo não é o azeite, o óleo, Ele é a unção, é o ato de ungir, e a unção é o toque, é o amor concretizado, sensibilizado, derramado e friccionado, que adentra os poros e que, após absorvido, traz inúmeras consequências. Nossa arte ungida deve trazer consequências na vida de quem a aprecia, deve ser proteção contra o frio de todas as más tendências do mundo, deve ser alimento, remédio que cura, combustível que sustenta a luz da fé, deve nos impermeabilizar e purificar dos pecados, perfumar com a santidade, alegria, saúde, força, beleza!

Mais uma vez usamos a figura de Davi para demonstrar quanto a unção do Espírito Santo sobre um artista pode realizar grandes sinais. No primeiro livro de Samuel 16, 23 está escrito: “E sempre que o espírito mau de Deus acometia o rei, Davi tomava a harpa e tocava. Saul acalmava-se, sentia-se aliviado e o espírito mau o deixava.” A unção provocada pela arte de Davi libertava! Já no segundo livro de Reis 3, 15 temos o exemplo do profeta Eliseu que para ouvir a voz de Deus pede que lhe trouxessem um músico: “Mas agora trazei-me um tocador de harpa. Apenas fez o tocador vibrar as cordas, veio a mão do Senhor sobre Eliseu”. Imagine o que Deus é capaz de realizar na humanidade através da nossa arte, quando deixamos o Espírito agir em nós!

Nessa primeira parte do nosso estudo sobre a unção, descobrimos que a unção é o Espírito Santo de Deus e para que a nossa arte tenha unção o Espírito precisa encontrar em nós a possibilidade de agir livremente! Qual é a sua intimidade com o Espírito Santo? Você é dócil às Suas inspirações, você se deixa guiar por Ele? Se você quer ter unção no teu ministério artístico você precisa se abandonar ao Espírito Santo!

Convido você a levar essa reflexão para sua vida e oração e também para partilhar com o seu ministério de artes. Fique atento a continuidade da nossa série sobre unção!

 

Por Felipe Zanotto Reigota, membro da Comunidade Recado.

 

O segundo texto da Série Unção está AQUI!

 

Você acha que está faltando mais formação para os artistas católicos? Então CLIQUE AQUI e temos uma solução para te apresentar.