Com quais armaduras devemos nos revestir?

Com quais armaduras devemos nos revestir?

Ao assistir filmes sobre guerras percebemos que os soldados não vão ao campo sem proteção. Eles se revestem das melhores armas que podem encontrar. Assim também somos nós, não lutamos contra homens de carne e sangue, mas contra as forças espirituais do mal espalhado nos ares. Contra os principados e potestades, e não venceremos essa luta somente com nossa capacidade humana, mas contamos também com a graça de Deus e seus anjos enviados para nos proteger do mal.

Na passagem de Efésios, capítulo 6, 10-18, nos é revelado com quais armaduras devemos nos revestir para lutar contra o mal. No nosso dia a dia, nos deparamos com diversos obstáculos, bloqueios e lutamos para transpor com sangue, suor e lágrimas essas barreiras, e assim, em Deus nos tornarmos vencedores.

A primeira armadura é cingir nossas cinturas com a verdade. Devemos buscar viver na verdade conosco e com aqueles que estão ao nosso redor. A cura acontece só quando assumimos a verdade dentro de nós. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará! ” (Jo 8,32). O que passa disso vem do maligno, assim como relata na palavra de Deus que ele é o pai da mentira. ¹

O corpo deve estar vestido com a couraça da justiça. A couraça serve para proteger o nosso corpo. Portanto sejamos justos com os outros, lembrando que não cabe a nós ‘fazer justiça’, Deus a fará. Ele sabe o que é melhor para cada um de nós. Tenhamos respeito para com o nosso próximo e ele, vendo nossa atitude, nos respeitará. Se nossos inimigos forem injustos conosco, lembremos nessa hora das palavras de Jesus: “Amai os vossos inimigos. ”²

Calçar os pés de prontidão para anunciar o Evangelho da paz. Devemos buscar seguir os passos de Jesus, mesmo em meio a nossa cruz. É Ele quem devemos anunciar, levar mundo afora para que muitos conheçam esse Deus com um coração infinito. Busquemos uma vida de oração, ler a palavra de Deus sempre, desejar conhecer seu coração de Pai, para que fiquemos de prontidão para anunciá-lo, aplainemos Teus caminhos.

Embraçai o escudo da fé é o mesmo que sustentar o escudo nos braços. É se esforçar na vivência da fé, pedindo sempre a Deus esse dom. Se temos fé, por menor que ela seja, somos capazes de transportar montanhas, de irmos além, de alcançar lugares que só Deus pode imaginar. Onde estamos colocando nossa fé? Em que estamos depositando as nossas crenças?

Tomai o capacete da salvação. O capacete protege nossa cabeça em casos de acidentes. Coloquemos também o capacete da salvação, isto é, busquemos proteger a nossa memória, a nossa inteligência e imaginação. Alimentar nossa mente com palavras e coisas positivas, e renunciar a tudo aquilo que é negativo em nossa memória. Submetamos nossa inteligência a Deus.

A espada do Espírito, que é a palavra de Deus. As Sagradas Escrituras são uma arma poderosa. Devemos estudá-la sempre, meditar e contemplar tudo o que nela contém. Quanto mais conhecermos a palavra, mais seremos curados e libertados e melhor ainda, proclamaremos com autoridade as palavras que Jesus nos ensinou e ensina todos os dias. Clamemos ao Espírito Santo o dom do discernimento e que Ele abra a nossa mente para compreendermos a palavra de Deus.

Por fim, orai em toda a circunstância, rezar sempre e em todos os momentos, seja ele de alegria ou dor. Façamos a experiência de meditar o terço com as nossas famílias, de visitar Jesus no sacrário, porque ali, diante da presença d’Ele, muitas muralhas são derrubadas, e busquemos sempre que pudermos o sacramento da confissão vivendo sempre na verdade que é Jesus Cristo, Ressuscitado, e assim seremos libertos de todo o mal.

 

Por Rafaela Cassimiro membro da Comunidade Recado.

 

Referência

 

  1. João 8, 44. Bíblia Ave Maria.
  2. Mateus 5, 25. Bíblia Ave Maria.