Artista, você conhece a Palavra de Deus?

Artista, você conhece a Palavra de Deus?

Artista, observe, a seguir, algumas informações e perceba se elas são novidade para você ou se já são de seu conhecimento.

A Bíblia é uma coletânea de Livros inspirada por Deus, mas escrita por homens. Ela é divida em duas partes: Antigo (ou Primeiro) Testamento, contendo 46 livros; e, Novo (ou Segundo) Testamento, contendo 27 livros. Ao todo, a Bíblia é formada por 73 livros.

A sua primeira parte é divida em: Livros do Pentateuco (5 primeiros), Livros Históricos, Livros Sapiencias e Livros Proféticos. A segunda parte, por sua vez divide-se em: Evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João), Atos dos Apóstolos, Epístolas Paulinas, Epístolas Católicas ou Pastorais (Cartas dos demais Apóstolos) e o Apocalipse (que é um livro profético).

No contexto histórico, o Antigo Testamento é datado por volta de 1250 a.C., escrito totalmente em hebraico e o Novo Testamento finalizado por volta do ano 100 d.C., escrito em sua maior parte no grego e uma pequena parte no aramaico (o idioma que Cristo falava).

Esses foram alguns dados relevantes sobre a Palavra de Deus. Mas você, artista, conhece a Palavra de Deus? É íntimo dessa Palavra?

São João Paulo II, na Carta aos Artistas (1999), iniciou da seguinte forma: “Ninguém melhor do que vós, artistas, construtores geniais de beleza, podem intuir algo daquele pathos com que Deus, na aurora da criação, contemplou a obra das suas mãos. Infinitas vezes se espelhou um relance daquele sentimento no olhar com que vós – como, aliás, os artistas de todos os tempos –, maravilhados com o arcano poder dos sons e das palavras, das cores e das formas, vos pusestes a admirar a obra nascida do vosso gênio artístico, quase sentindo o eco daquele mistério da criação e a que Deus, único criador de todas as coisas, de algum modo vos quis associar”1.  

O Santo Papa vem mostrar a íntima ligação de Deus – o Artista por Excelência – com você, artista: “Com amorosa condescendência, o Artista divino transmite uma centelha da sua sabedoria transcendente ao artista humano, chamando-o a participar do seu poder criador.”2

Sendo Deus tão próximo do artista, vale à pena questionarmos novamente: Você, artista, é íntimo desse Deus, de sua Palavra?

A Palavra de Deus é fonte fecunda de toda aspiração artística. “De fato, Deus não Se revela ao homem abstratamente, mas assumindo linguagens, imagens e expressões ligadas às diversas culturas. Trata-se de uma relação fecunda. Testemunhada na história da Igreja.”3

Bento XVI vem reforçar o que São João Paulo II afirma de forma subliminar, dizendo que é pela Palavra de Deus que o homem se torna íntimo e pode se inspirar para participar de Seu poder criador.

É tempo de nos empenharmos no conhecimento da Palavra, para podermos ser cada vez mais chamados de “centelhas da sabedoria divina”, aumentando assim a nossa intimidade com Deus, bem como nossa participação no poder criador dEle.



1. Cf. João Paulo II, Carta aos Artistas, 4 de Abril 1999.

2. Ibidem

3. Cf. Bento XVI, Exortação Apostólica Pós-Sinodal Verbum Domini, 30 de Setembro de 2010.

 

 

Por Flávio Cavalcante, Membro da Comunidade Recado

 

Quer fazer a evangelização acontecer no seu ministério? Então CLIQUE AQUI. Quer saber como ela pode chegar o mundo inteiro?! CLIQUE AQUI