Artista: promotor da misericórdia

Artista: promotor da misericórdia

Artista, começo esse texto já afirmando: Você é testemunha da misericórdia! Isso é maravilhoso e implica colocar-se à serviço, pois uma vez que o homem é a alcançado pela misericórdia de Deus, lhe cabe também ser misericordioso.

Recordo-me da parábola do servo cruel escrita em Mateus 18, 21-34, quando o servo devedor prostrou-se diante do seu senhor implorando por compaixão e paciência para com ele e, assim, teve sua dívida perdoada, no entanto esse mesmo servo quando muda de status, não tem capacidade de se compadecer com o outro que lhe devia uma quantia irrisória.

Pois bem, dessa parabola emerge algumas reflexões acerca da nossa vida ministerial artística. O homem que experimentou da imensa misericórdia de Deus, deve aprender a exercer sua pequena compaixão para com o outro, logo tudo que fazemos, em especial nossa arte, é para o benefício do povo, sendo necessário renúncias daquilo que nos promove com status, aprender diariamente a perdoar, perdoar-se e receber perdão.

Pode ser que você já tenha ouvido ou até mesmo dito a seguinte frase: Se eu perdoar, fulano(a) não vai aprender nunca”, ou caiu no profundo engano de que a falta de perdão traz segurança. Humanamente você pode até não ter nenhuma razão para exercer o perdão, no entanto o perdão, prova de amor, tira nosso ministério da paralisia, frutifica a arte, gera vida e impede que você faça mal a si mesmo.

Diante de todas as ideologias que nos cercam, esse ato de “humilhação” e compaixão parece ser extremamente difícil ou algo que só lhe causará feridas. Pelo contrario, o sacrifício vale a realização e dentro dela não há feridas, mas alegria em abundância. Veja bem, na parábola do pai misericordioso, ele espera com grande e infinita saudade, acolhe novamente, todas as ferida são curadas e as lágrimas enxugadas, é o advento do Reino de Deus.

Por fim, artista você é promotor desse encontro de misericórdia. Se compreender o quão salvífico é o seu ministério, mais mergulhado na misericórdia estará e, se parecer difícil, acredite que o valor do ministério que exerce é diretamente proporcional ao que lhe está custando.

 

Por Piero Aguiar, Membro da Comunidade Recado.

 

 

 

Qual a forma de fazer as formações católicas chegarem ao Brasil e ao mundo? CLIQUE AQUI e temos uma solução.