Artista profissional.

Artista profissional.

Não é a primeira vez que me vejo tentando responder a uma determinada questão. Dessa vez foi uma amiga que, ao passo que me apresentava seu ponto de vista, ia me fazendo interrogações, no entanto, não raras vezes, eu mesma me coloco a perguntar: o que faz de um artista um artista profissional?

Como privilegiada que sou de partilhar minha rotina de trabalho com vários artistas, aproveitei o pouco prazo que tinha e consegui perguntar para duas:

 

  1. A uma dançarina:

            Dedicação aos estudos e ensaios são elementos importantes na sua busca de ser artista profissional? Tem algo mais que considera importante nesta busca?

 “No meu caso, para eu construir esse caminho e ir sendo reconhecida, foi preciso que dançasse! Que investigasse, praticasse e apresentasse minha arte e que frequentasse os espaços onde os artistas estão”.

        2.  Para uma artista plástica e cineasta:

            “O que te faz se reconhecer como artista profissional”?

             Pesquisa e compromisso!

 

A meu ver, as poucas palavras que expressaram só reafirmam a complexidade da questão. Esperando em Deus que nos confie outros momentos de diálogo, tento sintetizar, abaixo, o que hoje considero relevante sobre ser artista profissional:

a) É necessário muito estudo, e eu o defendo na perspectiva de práxis - relação intrínseca entre teoria e prática;

b) É importante que se investigue constantemente as técnicas, estéticas e poéticas escolhidas para seu trabalho e produções artísticas. Inspirada em uma de nossas ‘entrevistadas’, entendo que se tudo que o artista se dispuser a fazer for atravessado pelo compromisso e pela pesquisa, há grandes chances de ele ser um (bom) profissional, inclusive no que se refere aos ensaios. O ensaio por si só não torna ninguém um artista profissional, visto que ele pode se tornar um momento mecânico e esvaziado de sentido; no entanto, se ele é envolvido de pesquisa, investigação, inteireza, vivido como momento de conhecimento e compartilhamento torna-se um efetivo passo em direção ao profissionalismo.

c) O artista profissional é formado no diálogo com diferentes artistas, de diversas linguagens, na frequentação de espaços de arte, ao mergulhar em processos criativos comprometidos, ao expor-se como artista por meio da sua arte, ao propor trabalhos bem-acabados (construídos com cuidado em cada detalhe), ao ouvir críticas sobre seu trabalho. Assim, tanto ele se reconhece como artista, como é reconhecido por seus pares e por quem ‘consome’ arte.

Uma das afirmações que atrevo a fazer sobre esse assunto, hoje, é que ele coloca em foco vários outros assuntos referentes ao universo artístico e levanta várias outras questões, o que é bom sinal, já que como diz Padre Joãozinho “perguntar é um jeito de amar. Jesus foi um perguntador”.

 

Continuemos perguntando que o caminho se ilumina.

 

Claudia Barreto Compromissada e Membro da Comunidade Recado.