Arte: meu esconderijo ou minha exposição?

Arte: meu esconderijo ou minha exposição?

O convite natural que o ser artista nos faz é o de mostrarmos aquilo que nos habita no mais profundo. E de fato é essa a tentativa de qualquer criação artística. Mas quantas vezes nos confundimos ao ponto de usarmos a arte como esconderijo.
A poesia por exemplo, nos possibilita apresentar algumas realidades de maneira menos cruel do que realmente são. É enxergar além do comum, o que a maioria não vê. Que dom divino!
A arte é, para os artistas e para os que a experimentam, lugar de descanso da crueldade e feiura que nos rodeiam. Mas não nega que essa crueldade e essa feiura existem.
E essa feiura existe também dentro de nós. Mas é certo que Deus nos escolheu na inteireza que somos. Ele não escolheu só nossa “parte boa”, porque não se contentaria com isso. Ele já contava com nossas limitações e nos escolhe inteiros. A arte precisa ser instrumento de autoconhecimento e aceitação de quem somos. Ela deve nos ajudar a ter um olhar de louvor e amor sobre nós mesmos e sobre aquilo que no rodeia, e nunca esconderijo e fuga.
É preciso coragem para amar a verdade.

 

Por Talita Lima, Membro da Comunidade Recado.

 

CLIQUE AQUI para saber o que é possível fazer pela arte católica no Brasil.