Arte: expressão do Eterno.

Arte: expressão do Eterno.

Ao refletir sobre as diversas expressões artísticas, repousei o meu olhar para uma das mais belas artes que Deus criou – o homem. A Sagrada Escritura nos revela em Gênesis o momento singular de nossa criação: “Por fim Deus disse: ‘Façamos o Homem a nossa imagem e semelhança... E Deus criou o Homem à sua imagem; à sua imagem de Deus Ele o criou.” (Gen 1, 26-27). Na aurora da nossa criação encontramos expresso em nós a profundidade da arte do Coração de Deus.

O ícone é uma das expressões de arte sacra que nos revela muito a face amorosa de Deus. Segundo Pavel Evdokimov, um dos grandes teólogos russos, o ícone é como “uma janela para a eternidade”. Contudo, uma janela pode nos revelar tanto o exterior quanto o interior, depende do lado em que você se encontra. Como nos afirma o teólogo, o ícone nos revela o interior, pela fé ele nos abre os olhos (as janelas da alma) e o coração para o eterno ali figurado.

Os gregos na construção do pensamento ocidental compreendiam os olhos como um espelho que nos reflete, ou seja, no olhar do outro eu contemplo a mim mesmo. Dessa forma, na mentalidade visiva dá à imagem um sentido teológico e espiritual. Mas o que tem tudo isso haver conosco?

Como expressão da arte primeira que vem do coração de Deus fomos criados Sua imagem e semelhança. Somos ou deveríamos ser imagem de nosso Criador. Deveríamos refletir o seu amor, ou seja, como os ícones, deveríamos trazer em nós impresso e refletido, a figuração do eterno, a revelação do amor de Deus.

Deus tem sua revelação completa na encarnação do Verbo. Em Jesus Cristo todo o mistério de Deus nos é revelado. Dessa forma, na encarnação, toda a criação se torna apta a expressar o mistério de Deus. Compreendemos assim, a importância de vivermos o amor e de sermos expressão desse amor aos irmãos.

Como cristãos, filhos e servos de Deus, como artistas católicos, temos a responsabilidade de, através de nossa arte, ser expressão do amor de Deus para toda a humanidade. Nossa arte deve ser, sobretudo, a “figuração do eterno”, a expressão do mistério de amor revelado a nós em Cristo Jesus.

Somos chamados a ser o Coração de Jesus aonde formos. Somos chamados a refletir o amor misericordioso do Pai. Nossa arte deve ser uma expressão marcante do amor de Deus que em nós, vai ao encontro do outro. Quando pintamos, desenhamos, compomos, cantamos, interpretamos, decoramos um ambiente religioso ou dançamos, ali deve estar refletido o olhar amoroso de Deus. Cada traço, cada pincelada, cada melodia, cada passo deve revelar Cristo presente em nós.

Sejamos expressão do Sagrado. Façamos da nossa vida um testemunho vivo do verdadeiro amor. Façamos de nosso coração um reflexo expressivo desse amor e de nossa arte a “figuração do eterno”.

Por Laianne Viana.

Quer fazer a evangelização acontecer no seu ministério? Então CLIQUE AQUI. Quer saber como ela pode chegar o mundo inteiro?! CLIQUE AQUI